sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Prefeita presa por corrupção

Esquema de corrupção em Ribeirão Preto (SP)
Dárcy Vera, prefeita de Ribeirão Preto, foi presa na Operação Mamãe Noel, noticia o Estadão.
Integrante do PSD, ela é acusada de participar de um esquema de corrupção em licitações que ultrapassa 200 milhões de reais.

Dia 02 de dezembro: Fatos históricos




1547 - Morre o explorador espanhol, Hernán Cortés de Monroy y Pizarro Altamirano, 1.° Marquês do Vale de Oaxaca, conhecido por ter destruído o Império Asteca de Moctezuma II e conquistado o centro do atual território do México para a Espanha
1804 - Napoleão Bonaparte torna-se o primeiro imperador da França numa cerimônia realizada na catedral de Notre-Dame em Paris.
1805 - Napoleão Bonaparte aniquila as tropas austro-russas na maior vitória da sua carreira militar: a batalha de Austerlitz.
1814 - Morre  
Donatien Alphonse François de Sade, o Marquês de Sade, aristocrata francês e escritor libertino. Muitas das suas obras foram escritas enquanto estava na Prisão da Bastilha, encarcerado diversas vezes, inclusive por Napoleão Bonaparte
1823 - James Monroe, presidente americano, introduz a Doutrina Monroe, que condena a intervenção européia no continente Americano.
1870 - Estréia no Brasil, em homenagem ao aniversário de Dom Pedro II , no Teatro Lírico Fluminense, a opera de Carlos Gomes O Guarani.
1901 - O americano King Camp Gillette patenteia um aparelho de barbear de láminas descartáveis. O inicio da Gillette Safety Razor Company.
1918 - A Armênia separa-se do Império Otomano.
1923 - Nasce na Itália, Maria Callas, grande cantora lirica.
1927 - É vendido o primeiro Ford A.
1937 - Getúlio Vargas extingue, através do Decreto nº 37, todos os partidos políticos.
1942 - Em Chicago, o físico italiano Enrico Fermi consegue
 a primeira reação de fissão (separação) nuclear controlada e sustentável, a físsio do átomo.
1944 - Inaugurada no Rio de Janeiro, pelo jornalista Roberto Marinho, a Rádio Globo AM.
1945 - Eurico Gaspar Dutra é eleito por voto popular presidente do Brasil. O PSD tem maioria na Constituinte.
1953 - Retomada das relações diplomáticas entre o Irã e a Grã-Bretanha.
1954 - O Senado americano condena o senador Joseph McCarthy por má conduta durante as investigações e caça a suspeitos de comunismo.
1954 - A União Sovética anuncia ajuda militar aos países comunistas.
1956 - Fidel Castro desembarca em Cuba liderando 72 homens. Atacados pelas forças do ditador Batista apenas 12 sobrevivem.
1968 - Nixon nomeia Henry Kissinger conselheiro da Seguridade Nacional dos Estados Unidos.
1969 - O boeing 747 realiza seu vôo inaugural com 191 pessoas a bordo, a maioria jornalistas e fotógrafos.
1971 - Sete emirados se agrupam e proclamam os Emirados Árabes Unidos, com a retirada de tropas britânicas da região.
1972 - O Partido dos Trabalhadores ganha a primeira eleição na Austrália desde 1949. Gough Whitam torna-se primeiro-ministro.
1979 - A população iraniana vota a favor de uma nova Constituição e de poderes absolutos ao Aiatolá Khomeini.
1982 - É realizado em Seattle pelo doutor William De Vries o primeiro implante de coração. O paciente é o dentista Barney Clark.
1990 - Realizada a primeira eleição após a unificação da Alemanha.
1993 - Pablo Escobar, líder do Cartel de Medelin, na Colômbia, é morto a tiros numa tentativa de prisão.
1997 - Boris Yeltsin, presidente da Russia, surpreende ao declarar, na Suécia, a redução unilateral das ogivas nucleares no país.
Redação Terra

A força dos Ferreira Gomes eleje Zezim Albuquerque para seu terceiro mandato como presidente da AL

img-20161201-wa0008

Por 27 votos a 18, o deptuado Zezinho Albuquerque (PDT) é reeleito presidente da  Assembleia Legislativa para  biênio 2017-2018.  A disputa pelo cargo foi um duro embate até o último instante. As costuras nos bastidores provocaram uma crise que culminou no rompimento político entre os grupos dos irmãos Ferreira Gomes e de Domingos Filho, atualmente conselheiro do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM).
A eleição da nova Mesa Diretora da AL  às 11 horas, e se prolongou ao longo da tarde de quinta-feira (01).
O grupo liderado pelos irmãos Ferreira Gomes  (Cid, Ciro e Ivo), incluindo o governador Camilo Santana e o prefeito Roberto Cláudio, nos bastidores, acusaram Domingos Filho de provocar um racha na base governista.
Cid e Ciro e Ivo apoiaram a reeleição do deputado Zezinho Albuquerque, enquanto Domingos apoia a candidatura de Sérgio Aguiar. Os dois candidatos do mesmo partido, o PDT.
Influência
Segundo interlocutores do Governo, Domingos estaria utilizado sua influência como conselheiro da Corte de Contas para pressionar parlamentares em busca de apoio para Sérgio. Sem citar nomes, o deputado Ivo Gomes (PDT) chegou a postar publicação nas redes sociais criticando as articulações nos bastidores, o que causou incômodos nos corredores da AL. “Estou me preparando pra deixar a Assembleia Legislativa, depois de 14 anos. Saio no momento em que magistrados pertencentes ao Tribunal de Contas dos Municípios – que tem por obrigação mínima a imparcialidade e a distância da política – interferem acintosamente na sucessão da Presidência da casa da qual ainda sou parte”, publicou Ivo.
Segundo esses interlocutores, o governador está seguro de que o acordo não é mais possível e que o rompimento definitivo com o grupo político ligado a Domingos Filho é inevitável. Aliados afirmam que esforços foram realizados à exaustão para evitar o rompimento.
Dos dois lados
O deputado Ely Aguiar (PSDC), porém, afirmou à imprensa que as pressões advém de ambos os lados e criticou as interferências externas na disputa. Sem críticas a gestão Zezinho, Ely admitiu que nos bastidores alguns parlamentares reclamam da falta de espaço, o que teria prejudicado um consenso.
Demissões
Com o rompimento, começaram os boatos sobre demissões tanto no governo do estado quanto na Prefeitura de Fortaleza. Segundo interlocutores, os Diários Oficiais já devem trazer exonerações de aliados de Domingos Filho que ocupam cargos nos governos municipal e estadual. Na governo do Estado, Augusto Júnior pode ser exonerado da presidência da Agência de Defesa Agropecuária do Estado (Adagri). Na prefeitura, devem ser “convidados a sair” os gestores da Etufor, Rennys Frota; e da Regional V, Walney Alencar. Fontes, que pediram reserva, tratam as exonerações como “prego batido, ponta virada” em resposta a manutenção da candidatura de Sérgio Aguiar.
De volta
A articulação em busca de votos inclui o retorno de deputados à composição da AL. Odilon Aguiar (PMB), Jeová Mota (PDT) e Miriam Sobreira (PDT) reassumiram seus mandatos na quarta-feira (01). Os três parlamentares ocupavam, respectivamente, as secretarias da Agricultura, Pesca e Aquicultura (Seapa); do Esporte (Sesporte) e a Secretaria Especial de Políticas sobre Drogas (SPD). Com o retorno dos deputados à Casa, Fernando Hugo (PP), Dr. Santana (PT) e Rachel Marques (PT) voltam à condição de suplentes.
Chapa Zezinho (vencedora)
Presidente – Zezinho Albuquerque (PDT)
1º vice-presidente – Tin Gomes (PHS)
2º Vice-presidente – Manuel Duca (PDT)
1º secretário – Audic Mota (PMDB)
2º secretario – João Jaime (DEM)
3º secretário – Julio César (PDT)
4ª secretário – Augusta Brito (PCdoB)
1º suplente – Robério Monteiro (PDT)
2º suplente – Ferreira Aragão (PDT)
3º suplente – Bruno Pedrosa (PP)
Chapa Sergio Aguiar 
Presidente – Sergio Aguiar (PDT)
1º vice-presidente – Joaquim Noronha (PRP)
2º Vice-presidente – Danniel Oliveira (PMDB)
1º secretário – Aderlânia Noronha (SD)
2º secretario – Gony Arruda (PSD)
3º secretário – Ely Aguiar (PSDC)
4ª secretário – Roberto Mesquita (PSD)
1º suplente – Fernanda Pessoa (PR)
2º suplente – Bruno Gonçalves (PEN)
3º suplente – Dra. Silvana (PMDB)

PRETO NO BRANCO, coluna publicada no jornal O ESTADO

                                 Motivos para esperança
        Julieta Brontée
            Num estado como o nosso, encravado na zona mais ressequida do país, e convivendo com as incertezas de invernos que podem ou não vir, uma iniciativa do porte da ZPE, surge como um raio de esperança para a nossa tão sofrida economia. Isso, diante de um quadro cada vez mais pessimista que se desenha em termos nacionais, quando um governo, em claro desespero, busca saídas, cada vez mais difíceis para impedir que esse desespero se espraie no seio da população. 
            Quando a ZPE foi lançada, houve quem duvidasse da sua concretização, tendo em vista ser tratar de um projeto tido por muitos como mastodôntico. Não era bem assim, e o então governador Tasso Jereissati conseguiu convencer técnicos e economistas da viabilidade dessa iniciativa seguida pelos governadores que o sucederam. Em primeiro lugar, porque o Ceará dispõe de um espaço único, o Pecém, cuja vastidão pode acolher além da ZPE dezenas de grandes indústrias.
            Enquanto governadores de outros estados arrancam os cabelos, sem saber de onde tirar recursos, o governador Camilo, acompanhado do secretário de Assuntos Internacionais, Antonio Balhmann tem percorrido países europeus e asiáticos, de onde tem retornado certo de que muitas multinacionais deverão aqui ser instaladas nos próximos anos. É preciso acreditar. A população não pode viver na dependência de chuvas e de milagres. Estes somos nós que podemos fazer.

CURTO CIRCUITO

REELEIÇÃO - O deputado Zezim Albuquerque foi eleito, ontem, para o terceiro mandato como presidente da Assembléia Legislativa do Estado do Ceará. Uma boa disputa com o então Primeiro Secrecário da Casa, deputado Sérgio Aguiar. Foram 27 votos a 18.Fazia tempos que não via uma boa disputa na AL. Ninguém se engane, são os Ferreira Gomes, como sempre unidos, mostrando mais uma vez a força dos três irmãos, Ciro, Cid e Ivo Gomes. 

CABEÇAS VÃO ROLAR - O  Congresso Nacional pode até derrubar nas duas Casas, o pacote anticorrupção do jeito que era pra ser. Mas, que barbas de muita gente, inclusive, de "índio",  fiquem de molho. Ah! Desculpem, esqueci, įndio é imberbe, mas, alerta, cabeças vão rolar, a podridão é grande, a fedentina está no ar. Mas, o povo tá de olho, não adianta tentar mordaçar os representantes da Justiça para acobertar os podres.

POTÊNCIA – Ainda dentro do tema do nosso comentário, o deputado Danilo Forte (PSB), um dos parlamentares mais destacados do Nordeste, defende radicalmente mais incentivos fiscais para empresas que se instalarem no Complexo Portuário e Industrial do Pecém. Para ele, esses incentivos não irão abalar a arrecadação0 de ICMS naquela área, que representará 36 do ICMS do estado.

PODE TER JEITO – A desastrosa aprovação da Lei do Abuso de Autoridade, aprovada por uma chusma de deputados cujas biografias mais parecem “fichas policiais”, poderá não vir a se concretizar. Segundo observadores dos passos do presidente Temer, ele poderá vetar a matéria, se esta for confirmada pelo Senado. A explicação é que Temer, sendo jurista, vai querer uma Justiça boa.

SEM PRIVILÉGIOS – A questão dos foros privilegiados, que tantas injustiças e indignação terminam produzindo, começa a encontrar adversários de peso, inclusive membros do Poder Legislativo, onde estão alguns dos mais privilegiados.
Sinal disso é a posição assumida pelo senador Eunício Oliveira, do PMDB. Ele, segundo teria dito, apoiará a aprovação de PEC que tramita nesse sentido. Será?

DESMANTELO – A respeito dos fatos relacionados com o agitado pleito pela presidência da Mesa Diretora da AL, o pleito causou tantos abalos e desmantelos na vida política do estado, a ponto de causar prejuízos para à administração do estado. A tal ponto de o governador Camilo, envolvido nesse “rolo” ter passado os três primeiros dias da semana praticamente sem uma agenda de atividades oficiais.

ALTO CARGO – No momento em que muita gente lá do “Sul maravilha” se acotovela por cargos importantes, um discreto cearense, Felipe Mota, indicado pelo deputado Vítor Valim e pelo senador Eunício, será o presidente responsável pela Diretoria de Infra-Estrutura do Ministério do Turismo. Esse setor é responsável por 100% dos projetos de amplitude nacional daquela pasta.    


OLHA A FESTA! – Como naquele dito popular “se o gato dorme, os ratos fazem a festa”, os bandidos corruptos da nossa política devem estar eufóricos. Isso porque o juiz Sérgio Moro, coordenador da Operação Lava-Jato, pediu um mês de férias. Mas os ratos não devem ficar tão alegres. Isso porque o grande magistrado deixa no comando da Lava-Jato o não menos eficiente procurador Delton Dellagnol.

Bom dia com poesia

 Que esta sexta-feira seja tão bela para todos nós quanto esse amanhecer que estou assistindo em todo seu esplendor. Mesmo que certos desejos sejam inatingíveis, nem tudo é utopia, pois os caminhos foram feitos para serem trilhados. Então, vamos que vamos pois nem tudo é inatingível!!!!

"DAS UTOPIAS
Se as coisas são inatingíveis... ora!
Não é motivo para não querê-las...
Que tristes os caminhos, se não fora
A presença distante das estrelas!"
Mario Quintana

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Pacote anticorrupção: Povo de olho no Senado da República

O povo brasileiro deve ficar de olhos bem abertos e ouvidos bem atentos, voltados para o Congresso Nacional para evitar que o Senado da República repita a imoralidade da Câmara dos Deputados que, na calada da noite, sorrateiramente como fazem os ladrões, legislaram em causa própria, “dizimando” o pacote anticorrupção, quando reduziram para apenas duas, as  medidas propostas inicialmente pelo Ministério Público Federal. 
Legislando em causa própria os usurpadores do dinheiro do povo, incluíram, entre outras mudanças, a mais gritante, ou seja, punição para juízes, promotores e procuradores e retiraram a criminalização do enriquecimento ilícito, ou seja, defendendo a própria roubalheira lá deles.
Ontem mesmo, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), envolvido até a medula em denuncias de corrupção, colocou em votação no plenário da Casa, um requerimento de urgência urgentíssima para votação, no mesmo dia, do projeto de lei oriundo da Câmara dos Deputados, aquele mesmo  que trata das medidas de combate à corrupção.
Grande parte dos senadores presentes protestou, bateu pé, mas de nada adiantou. Apesar dos protestos, Renan  insistiu em colocar a matéria em votação. Resultado:  o requerimento foi rejeitado por 44 votos contrários e 14 favoráveis.
A verdade é que temos de tomar posição e cobrarmos, imediatamente, do Senado da República a derrubada dessa imoralidade.  Parte superior do formulário
Não custa reafirmar que temos de ficar de olhos bem abertos voltados para  o Parte inferior do formulário

 Congresso Nacional que virou “casa de mãe Joana” quando “400 picaretas” desvirtuaram completamente e derrubaram, na calada da noite, como só os bandidos fazem, o Projeto de Lei proposto por mais de 2 milhões de brasileiros sedentos de Justiça contra os corruptos, ladrões do dinheiro do povo. Agora vale, mais do que nunca, a pressão popular para que essa imoralidade não passe no Senado da República.

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

NOTA DE REPÚDIO contra modificações do pacote contra a corrupção feitas pelos deputados federais

A Associação Nacional do Ministério Público de Contas, entidade que congrega membros do Ministério Público de Contas de todo o Brasil vem a público manifestar veemente repúdio às medidas aprovadas por ampla maioria dos Deputados Federais na última madrugada, dando as costas ao povo brasileiro e em flagrante desvirtuamento da quase totalidade do projeto de origem popular assinado por 2,5 milhões de pessoas.
O voto popular jamais conferiu ao mandatário um "cheque em branco". Na casa do povo do Congresso Nacional, com mais razão, a atuação deveria guardar conexão com a vontade popular. Apenas 132 Deputados Federais entenderam esse mandato e a estes a AMPCON parabeniza pelo compromisso demonstrado com a viabilização de um país melhor.
O Ministério Público de Contas não se dobrará e continuará a lutar por um Brasil que orgulhe ao seu povo, onde a decência seja a nota principal da conduta pública.
Resta agora rogar às autoridades do Senado Federal que recuperem a trilha virtuosa da normalidade.
No atual cenário de maturidade das instituições brasileiras, é profundamente lamentável o ocorrido, patrocinado por parlamentares que deveriam representar o povo brasileiro, e digno de repúdio por todas as instituições organizadas e pela sociedade deste país.
Brasília-DF, 30 de novembro de 2016.
Diretoria da AMPCON

Pacote anticorrupção virou uma piada


Das dez medidas propostas inicialmente pelo Ministério Público Federal, só três foram preservadas. Entre outras mudanças, deputados incluíram punição para juízes, promotores e procuradores e excluíram a criminalização do enriquecimento ilícito


Luis Macedo/Ag. Câmara
Depois de aprovar o relatório da comissão especial, plenário desfigurou projeto com a aprovação de destaques que alteraram radicalmente as medidas sugeridas pelo MPF

A Câmara “dizimou”, nas palavras do próprio relator, o deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS), o projeto de combate à corrupção idealizado pelo Ministério Público Federal e entregue ao Congresso Nacional com o apoio de 2,4 milhões de pessoas. Das dez medidas propostas inicialmente, só três se salvaram: a criminalização do caixa dois, a exigência de que os tribunais de Justiça e o Ministério Público informem o tempo de tramitação dos processos e identifiquem as razões da demora em seus julgamentos e o aumento da punição para crime de corrupção (qualificado como crime hediondo a partir de 10 mil salários mínimos – R$ 8,8 milhões em valores atuais).
Embora tenham desistido de aprovar a anistia ao caixa dois, como tramavam na semana passada, os deputados retiraram diversos pontos previstos no relatório de Onyx, como a criminalização do enriquecimento ilícito, o estabelecimento de uma recompensa para o chamado “reportante do bem”, aquele que denunciasse irregularidades, o aumento do prazo de prescrição dos crimes e a mudança na contagem de seu tempo – a partir do oferecimento da denúncia, e não mais pelo seu recebimento. Também foram excluídas as regras sobre o acordo de leniência e a responsabilização dos partidos políticos e dirigentes partidário por atos cometidos por políticos filiados às legendas.
Por outro lado, o plenário incluiu a tipificação do crime de abuso de autoridade para magistrados e integrantes do Ministério Público. Ainda pela madrugada, o coordenador da força-tarefa da Operação Lava Jato, Deltan Dallagnol, protestou contra a mudança. “Está sendo aprovada a lei da intimidação contra promotores, juízes e grandes investigações”, protestou no Twitter.
O relatório da comissão especial foi aprovado no final da noite de ontem por 450 votos a 1, com três abstenções. Em seguida, porém, os deputados passaram a votar os destaques que desfiguraram o texto. Todos os destaques foram aprovados com folga de mais de 100 votos. Durante a votação, Onyx protestou contra a manobra dos colegas, mas foi vaiado inclusive por colegas de partido.
O líder do partido do relator, Pauderney Avelino (DEM-AM), chegou a comparar a proposta do “reportante do bem” a uma prática nazista: “Se aprovado, isso transformaria o Brasil num Estado de exceção, numa Alemanha nazista, numa Gestapo (polícia secreta do 3º Reich)”. Para Onyx, a Câmara agravou uma crise institucional ao aprovar mecanismos intimidatórios contra integrantes do Ministério Público e do Judiciário.
O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (RJ), que também é do partido do relator, classificou a decisão do plenário como democrática. “Mesmo que não tenha sido o que alguns esperavam, isso foi o que a maioria decidiu”, afirmou.

Perigo: Lava Jato pode ficar do jeito que o diabo gosta


Procuradores da Lava Jato ameaçam renúncia caso Temer sancione pacote

Vinicius Boreki
Colaboração para o UOL, em Curitiba

  • Geraldo Bubniak/AGB/Estadão Conteúdo
    Procuradores da Força Tarefa da Lava Jato, como Deltan Dallagnol, ameaçaram abandonar a operação
    Procuradores da Força Tarefa da Lava Jato, como Deltan Dallagnol, ameaçaram abandonar a operação
A Força Tarefa da Lava Jato convocou entrevista coletiva nesta quarta-feira (30) para repudiar o texto final do pacote de medidas anticorrupção aprovado nesta madrugada na Câmara dos Deputados. Os procuradores ameaçaram renunciar caso o projeto seja sancionado pelo presidente Michel Temer. "Não será possível continuar a Lava Jato se a lei da intimidação for aprovada. Vamos renunciar coletivamente", disseram eles.
Onze integrantes do grupo de investigação afirmaram que podem deixar a força tarefa e seguirem para os seus Estados e atribuições de origem se a lei que veda a independência de promotores, procuradores e juízes – nominada de "Lei da Intimidação" – for aprovada.
"Se nós os acusarmos, nós seremos acusados", resumiu o procurador da República e um dos coordenadores da investigação, Carlos Fernando dos Santos Lima. "As mudanças na lei são claras no sentido de responsabilizar pessoalmente procuradores, magistrados e promotores. Os parlamentares aproveitaram um projeto contra a corrupção para se proteger", disse.
De acordo com o procurador da República Deltan Dallagnol, o Congresso "sabe muito bem o que está fazendo", embora esteja fugindo dos interesses da sociedade. "O mesmo espírito de autopreservação que moveu a proposta de autoanistia moveu e move a intimidação de promotores, procuradores e juízes. O objetivo é estancar a sangria", afirmou. Ele se refere a um áudio vazado em que o líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR) havia mencionado que era necessário "estancar a sangria" provocada pela Operação Lava Jato.

Reação

Personalidades e instituições do Judiciário criticaram a aprovação da emenda que possibilita a punição de juízes e promotores responderem por crime de abuso de autoridade. Para a presidente do STF (Supremo Tribunal Federal) e do CNJ (Conselho Nacional de Justiça), ministra Cármen Lúcia, o texto aprovado ameaça a independência dos juízes
O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, afirmou que o "melhor no projeto foi excluído e medidas claramente retaliatórias foram incluídas". Em sua visão, "a emenda aprovada, na verdade, objetiva intimidar e enfraquecer Ministério Público e Judiciário".
A ANPR (Associação Nacional dos Procuradores Federais), por meio de seu presidente, José Robalinho Cavalcanti, classificção a aprovação do projeto como "absoluta destruição" em relação à proposta original, enviada pelo MPF (Ministério Público Federal).  Já o presidente da Ajufe (Associação dos Juízes Federais do Brasil), Roberto Veloso, disse que, se o projeto for aprovado pelo Senado, a entidade vai recorrer ao STF (Supremo Tribunal Federal).

Opinião dos procuradores

Segundo a força-tarefa da Lava Jato, o texto original das Dez Medidas Contra a Corrupção passou por uma ampla discussão nas comissões das Câmara, contando com a coleta de depoimento de mais de 100 especialistas. "O texto final da comissão foi extremamente positivo, aprovado na unanimidade. Mas, ao chegar ao plenário, foi deformado. Rasgou-se o texto para uma medida favorável à corrupção", analisou Dallagnol.
Embora a força tarefa tenha negado a existência de um conflito entre poderes no Brasil, Lima afirmou que a comoção nacional causada pela queda do avião da Chapecoense, na Colômbia, foi usada para permitir as alterações no projeto, ludibriando a população. "Depois de meses de discussão, em uma noite, muda-se toda a legislação e se cria a intimidação. Quem se aproveitou de um desastre não fomos nós. Agimos com clareza e transparência e, em uma madrugada, tudo se pôs a perder", ressaltou.
Dallagnol foi mais longe e afirmou que, com a aprovação das medidas, o primeiro sentimento é de que a investigação possa ser inútil. "Era uma oportunidade incrível para fechar brechas na corrupção e traçar um novo rumo para o Brasil. Não queremos nos sobrepor ao parlamento e o respeitamos. Levamos a eles problemas que demandavam soluções e geravam impunidade a casos de corrupção. A resposta foi: vamos deixar que a impunidade continue reinando", diz.
Em uma posição semelhante à do juiz Sergio Moro, que em palestra na semana passada afirmou que o caso Mãos Limpas, na Itália, servia de alerta à Lava Jato, a operação brasileira pode ter um resultado muito diferente do que se espera, com um Estado ainda mais corrupto e protegido por leis. "Esses projetos tornam o Estado pior do que era antes. Foi o que aconteceu na Itália e é neste caminho que estamos seguindo", analisou Dallagnol.

Pacote aprovado com mudanças

Aprovado por 450 votos contra 1 no início da madrugada desta quarta-feira (30), o texto-base do projeto de lei com o chamado pacote de medidas anticorrupção recebeu diversas alterações em sessão extraordinária. A polêmica anistia à prática do caixa 2 não entrou no pacote. Entre as mudanças aprovadas, porém, está a inclusão no texto da possibilidade de juízes e promotores responderem por crime de abuso de autoridade. O texto segue agora para votação no Senado.
O argumento dos parlamentares para a aprovação da medida era que não poderia se admitir no país mais "privilégios a ninguém". "Essa emenda permite que todos se comportem dentro da lei", disse o líder do PC do B, Daniel Almeida (BA). A emenda, apresentada pelo PDT, era alvo de críticas da força-tarefa da Operação Lava Jato e recebeu 313 votos a favor e 132 contrários (cinco deputados se abstiveram).

AL: Vaquejada em debate

Audiência pública discute prática da vaquejada nesta quarta


Vaquejada
VaquejadaFoto: Divulgação
A Assembleia Legislativa do Ceará realiza audiência pública, durante o segundo expediente da sessão plenária desta quarta-feira (30/11), para debater a legalidade da vaquejada, além dos aspectos culturais e econômicos que envolvem a prática e técnicas de proteção animal. A iniciativa atende a requerimento do deputado Danniel Oliveira (PMDB) e ocorre no Plenário 13 de Maio, a partir das 10h.
Em outubro, decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) inconstitucional lei estadual 15.299/2013, que regulamentava a vaquejada no Ceará. Por 6 votos a 5, os ministros consideraram que a atividade impõe sofrimento aos animais e, portanto, fere princípios constitucionais de preservação do meio ambiente.
 “A nossa vaquejada é secular, são mais de 100 anos de tradição e hoje ela está enraizada completamente na figura do nordestino. Infelizmente, através de uma decisão equivocada e preconceituosa, se tornou inconstitucional. Neste momento precisamos nos unir para deixarmos claro a sua importância”, afirmou o deputado Danniel Oliveira.
Segundo a Associação Brasileira de Vaquejada (ABVAQ), são realizadas cerca de quatro mil vaquejadas por ano. A modalidade movimenta anualmente em torno de R$ 600 milhões e gera 720 mil empregos diretos e indiretos. Apenas no Ceará, o número de cavalos que transitam em vaquejada, cadastrados na Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Ceará (Adagri), chega a 400 mil.
Foram convidados para o debate o vice-presidente e o advogado da ABVAQ, Marcos Lima e Dr. Vicente Braga, respectivamente; o presidente da da Adagri, Augusto Lima; o presidente do Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado do Ceará (CRMV-CE), Célio Garcia; e o zootecnista e inspetor da Associação Brasileira de Criadores de Cavalo de Quarto de Milha (ABQM), Antônio Travassos. Além disso, também vão estar presentes vaqueiros e trabalhadores de vaquejada de todo o Estado.
SC/GS


Portal do 

Alerta, Brasil!!!

A força-tarefa ainda faz um apelo aos parlamentares e diz que “o momento clama por medidas contra, e não a favor, da corrupção”
Para Lava Jato, deputados querem ‘amordaçar’ promotores, procuradores e juízes
Da IstoÉ
Em nota divulgada nesta terça-feira, 29, a força-tarefa da Lava Jato em Curitiba classifica de “Lei do Terror” a possibilidade de que os deputados incluam no projeto de lei de 10 Medidas de Combate à Corrupção mecanismos para enquadrar juízes, promotores e procuradores em crimes de responsabilidade. A força-tarefa ainda faz um apelo aos parlamentares e diz que “o momento clama por medidas contra, e não a favor, da corrupção”.
Em mais uma manifestação de repúdio às articulações de parlamentares em resposta aos avanços da maior operação de combate a corrupção no País, os procuradores afirmam serem falsas as afirmações de que juízes e procuradores seriam uma “casta privilegiada”. Eles lembram que as categorias também estão sujeitas a sanções criminais, cíveis, de improbidade administrativa e disciplinar e apontam a necessidade de se reformar o sistema de Justiça criminal, como prevê a proposta das 10 Medidas.
“A impunidade dos crimes decorre de brechas do sistema de justiça criminal que serão fechadas caso sejam aprovadas as ’10 Medidas Contra a Corrupção’. O endurecimento das leis proposto se aplica para todos, isto é, inclusive a promotores, procuradores e juízes”, diz o texto.
Os procuradores apontam ainda que nem os deputados e senadores estão sujeitos a crimes de responsabilidade e que a redação do texto que trata da possibilidade de se punir juízes e procuradores é vaga e fere a independência do Judiciário e do Ministério Público.
“Crimes excessivamente vagos dão margem a subjetivismo na aplicação da lei e perseguições, não toleradas pelo Direito Penal. Isso abre espaço para retaliação, vingança, intimidação e acovardamento, amordaçando o exercício legítimo da função”, segue o texto afirmando também que não houve discussão adequada sobre os crimes de responsabilidades para juízes e membros do Ministério Público.
“Por isso tudo, a Força Tarefa da Lava Jato reafirma sua confiança de que os Parlamentares e os cidadãos saberão distinguir medidas legítimas e necessárias para o aperfeiçoamento do sistema anticorrupção daquelas que são tentativas de aterrorizar e amordaçar promotores, procuradores e juízes”, conclui a força-tarefa.
Após a polêmica sobe a possibilidade de se incluir a anistia ao caixa 2 no texto, o que ocorreu na semana passada, o presidente Michel Temer (PMDB) e os presidentes do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) e da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), afirmaram em uma coletiva no domingo que o perdão não iria ser aprovado.
Ainda assim, parlamentares articulam incluir outras iniciativas polêmicas no projeto das 10 Medidas que deve ir à votação no plenário nesta terça, como a inclusão do crime de responsabilidade para enquadrar juízes e procuradores.

Acorda Brasil!!!

A população brasileira não pode, por motivo algum, tirar os olhos do Congresso Nacional, onde, grande parte dos parlamentares, maquiavela, até na madrugada, para se safar das raias da Justiça.

 Nem mesmo a tragédia que se abateu no país e que sensibilizou todo o mundo, estancou a sanha de nossos congressistas. Muito ao contrário, aproveitaram o trágico episódio e, enquanto chocado o povo chora e lamenta o desastre na Colômbia com a queda do avião que causou o triste fim dos atletas e dirigentes da Chapecoense, dos jornalistas e da tripulação da aeronave, no Planalto Central, na Capital da República, Michel Temer, sem dó nem piedade, retira da Petrobrás a exclusividade de explorar o pré-sal, o Senado da República aprova em primeiro turno a PEC que congela gastos por 20 anos. E não fica só nisso, tem ainda a tentativa de calar a boca de juízes, promotores e procuradores, criando a "Lei do Terror" contra essas categorias. 

E o que é pior, envolvidos pelo sentimento de perda com a tragédia no ar, a população passou batida, nem notou as artimanhas saídas das cabeças de quem está envolvido até o pescoço no mar de corrupção que assola nosso grandioso país.



terça-feira, 29 de novembro de 2016

Lista de passageiros no avião que transportava Chapecoense

Veja lista de passageiros no avião da Chapecoense que caiu na Colômbia

Voo levava 72 passageiros e 9 tripulantes; lista foi divulgada por rádio local. 
Segundo autoridades colombianas, 76 morreram e 5 ficaram feridos.

Do G1, em São Paulo
A rádio colombiana Caracol divulgou a lista de passageiros e tripulantes que estariam no avião que levava o time da Chapecoense e sofreu um acidente aéreo na Colômbia na madrugada desta terça-feira (29). Não há confirmação de que todos os nomes da relação estavam realmente na aeronave.

Confirmados, havia 72 passageiros e nove tripulantes a bordo. Autoridades locais informaram que há 76 mortos e cinco sobreviventes.
O Aeroporto Internacional José Maria Cordova, de Medelin, informou que os cinco sobreviventes são os jogadores Alan Ruschel, Danilo e Follmann; o jornalista Rafael Henzel, da rádio Oeste Capital, de Chapecó; e a comissária Ximena Suarez. De acordo com o Bom Dia Brasil, o zagueiro Neto, da Chapecoense também sobreviveu.
Luciano Buligon, prefeito de Chapecó (SC), e Plinio Filho, do presidente do Conselho Deliberativo da Chapecoense, deveriam estar no voo, mas não embarcaram.

Veja, abaixo, a relação de quem estaria a bordo, segundo a rádio Caracol:
Delegação da Chapecoense:
Alan Ruschel (lateral): primeiro a ser resgatado, o atleta foi levado para o hospital; segundo o Bom Dia Brasil, o jogador chegou em estado de choque e perguntando pela família.

Ananias Eloi Castro Monteiro (meia): o jogador de 27 anos teve passagens pelo Bahia, Portuguesa, Cruzeiro, Palmeiras e Sport.

Arthur Maia (meia): o alagoano Arthur Brasiliano Maia, de 24 anos, era jogador do Vitória emprestado à Chapecoense. LEIA MAIS

Bruno Rangel (atacante): nascido em Campos dos Goytacazes (RJ), Bruno Rangel Domingues, de 34 anos, passou por times como Paysandu e Joinville antes da Chapecoense. Maior artilheiro da história da Chapecoense, com 77 gols. LEIA MAIS

Aiton Cesar

Cleber Santana

Marcos Padilha

Dener Assunção

Filipe Machado

Jakson Follmann

José Paiva

Guilherme de Souza

Everton Kempes

Lucas da Silva

Matheus Btencourt

Hélio Zampier

Sérgio Manoel Barbosa

William Thiego

Tiago da Rocha

Josimar

Marcelo Augusto

Mateus Lucena dos Santos

Luiz Carlos Saroli, o Caio Júnior (técnico): ex-jogador com passagens por Grêmio, Internacional e Paraná, dentre outros, comçou a carreira de técnico em 2000. Na função, passou por clubes como Palmeiras, Flamengo, Grêmio, Bahia, Vitória e Criciúma.

Eduardo Filho

Anderson Araújo

Anderson Martins

Marcio Koury

Rafael Gobbato

Luiz Cunha

Luiz Grohs

Sérgio de Jesus

Anderson Donizette

Andriano Bitencourt

Cleberson Fernando da Silva

Emersson Domenico

Eduardo Preuss

Mauro Stumpf

Sandro Pallaoro

Gelson Merísio

Nilson Jr.

Decio Filho

Jandir Bordignon

Gilberto Thomaz

Mauro Bello

Edir De Marco

Daví Barela Dávi

Ricardo Porto

Delfim Pádua Peixoto Filho

Profissionais de imprensa
Guilherme Marques, da Globo

Ari de Araújo Jr., da Globo

Guilherme Laars, da Globo

Giovane Klein Victória, da RBS

Bruno Mauri da Silva, da RBS

Djalma Araújo Neto, da RBS

André Podiacki, da RBS

Laion Espíndola, do Globo Esporte

Victorino Chermont, da Fox: repórter dos canais Fox Sports

Rodrigo Santana Gonçalves, da Fox:

Deva Pascovicci (Devair Paschoalon), da Fox: narrador dos canais Fox Sports

Lilacio Pereira Jr., da Fox

Paulo Clement, da Fox

Mário Sérgio, da Fox: ex-jogador e ex-técnico de futebol, atualmente era comentarista nos canais Fox Sports.

Renan Agnolin: repórter da rádio Oeste Capital, de Chapecó

Fernando Schardong, Rádio AM

Edson Ebeliny, Rádio AM

Gelson Galiotto: narardor da rádio Super Condá, de Chapecó

Douglas Dorneles: repórter esportivo da Rádio Chapecó

Jacir Biavatti, Rádio FM

Ivan Agnoletto: da rádio rádio Super Condá, de Chapecó.

Rafael Henzel: jornalista da rádio Oeste Capital, de Chapecó, foi resgatado com vida.

Tripulação
Miguel Quiroga

Ovar Goytia

Sisy Arias

Romel Vacaflores

Ximena Suarez

Alex Quispe

Gustavo Encina

Erwin Tumiri

Angel Lugo