segunda-feira, 30 de junho de 2014

Há 12 anos Chico Xavier partir para a outra vida


Frases de Chico Xavier:

“Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim.

Fico triste quando alguém me ofende, mas, com certeza, eu ficaria mais triste se fosse eu o ofensor... Magoar alguém é terrível

Deus nos concede, a cada dia, uma página de vida nova no livro do tempo. Aquilo que colocarmos nela, corre por nossa conta.

O Cristo não pediu muita coisa, não exigiu que as pessoas escalassem o Everest ou fizessem grandes sacrifícios. Ele só pediu que nos amássemos uns aos outros."

Sonhos não morrem, apenas adormecem na alma da gente.

A desilusão é a visita da verdade.

Cada dia que amanhece assemelha-se a uma página em branco, na qual gravamos os nossos pensamentos, ações e atitudes. Na essência, cada dia é a preparação de nosso próprio amanhã.

PIS/PASEP podem ser sacados até esta segunda-feira

Trabalhadores cadastrados há pelo menos cinco anos no PIS/Pasep e que tenham tido uma média salarial de dois salários mínimos no ano base, com carteira assinada, podem sacar até esta segunda-feira (30) o abono de um salário mínimo do PIS/Pasep. Servidores nomeados efetivamente em cargos públicos, durante pelo menos 30 dias no ano-base, também têm direito ao benefício.
Segundo o Ministério do Trabalho e do Emprego, 21 milhões de trabalhadores podem sacar o benefício. Cerca de um milhão ainda não reclamaram o abono, que pode ser retirado em uma agência da Caixa Econômica Federal, para aqueles inscritos no PIS, ou no Banco do Brasil, para os inscritos no Pasep.
(com agências)

Presidente da Colômbia virá prestigiar Seleção na Arena Castelão

Confirmada a presença do presidente reeleito da Colômbia, Juan Manuel Santos, em  Fortaleza para assistir ao jogo de quartas de finais da Copa do Mundo. Vem especialmente prestigiar a  partida entre as seleções do Brasil e da Colômbia que acontecerá na próxima sexta-feira, às 17 horas, na Arena Castelão.

 A recepção para Juan Manuel Santos será programada nesta segunda-feira, em reunião da secretária da Copa de Fortaleza, Patrícia Macedo, com o Cônsul da Colômbia, Maurício Duran.

Rodísio para falar mal da Dilma

Piauí: Aécio e Campos pisam mesmo palanque

Orlando Brito/Divulgação
Aécio Neves e Eduardo Campos pisaram o mesmo palanque na tarde de sexta-feira (27). Deu-se no Piauí, na convenção que formalizou a candidatura à reeleição do governador José de Moraes Filho, o Zé Filho. Formou-se em torno do candidato uma coligação que desafia a compreensão do eleitor.

Zé Filho é do PMDB. No plano federal, o partido está fechado com Dilma Rousseff. No Piauí, aderiu ao tucano Aécio. Seu candidato a vice é o ex-prefeito de Teresina Sílvio Mendes, do PSDB de Aécio. O candidato ao Senado é o ex-governador Wilson Martins, do PSB de Campos.

Aécio e Campos não se cruzaram na convenção. O primeiro discursou na abertura do evento. O outro, no encerramento. Assim, ambos puderam espinafrar Dilma e o governo dela em sistema de rodízio. Os dois disputam uma vaga no segundo turno. Já andaram se estranhando. Mas o palanque multiuso do Piauí evitou que falassem mal um do outro.

Morre Padre Ferreirinha

Padre Ferreirinha, de 82 anos, morreu na manhã deste domingo (29). Estava internado há 45 mais de mês no hospital São Mateus, e morreu por complicações pulmonares.

 O sacerdote foi por 38 anos pároco da Igreja Nossa Senhora do Patrocínio, na Praça José de Alencar, no Centro de Fortaleza. 

Padre Ferreirinha ganhou destaque por trabalhos em obras sociais, e também foi o construtor da Igreja de Santa Edwiges, na Praia de Iracema, além da revitalização da Praça José de Alencar. 

Será cremado na manhã desta segunda-feira (30), no cemitério Jardim Metropolitano.

Convenção do PMDB formaliza nome de Eunício para disputa do Governo do Estado

Eunício adota tom crítico contra governo

A convenção estadual do PMDB que formalizou a candidatura do senador Eunício Oliveira ao governo do Ceará também confirmou a aliança do partido com mais oito legendas: PSDB, PR, DEM, PRP, PSC, PTN, PPS E PSDC. A chapa majoritária terá Roberto Pessoa (PR) como candidato a vice-governador. Apenas a oficialização do nome do candidato ao Senado ficou para hoje. A expectativa é de que Tasso Jereissati seja confirmado na disputa.
Eunício Oliveira chegou ao evento dirigindo o próprio carro, acompanhado do ex-senador Tasso Jereissati (PSDB), e dos presidentes estaduais do Democratas, Chiquinho Feitosa e do PSDB, Luiz Pontes. Os três podem compor a chapa majoritária na disputa pelo Senado, que possui espaço para dois suplentes.
Juntos, Eunício e Tasso foram recebidos com empolgação pelos presentes, que se apertavam para chegar mais próximo na tentativa de receber um aperto de mãos.
Último a discursar, Eunício disse que sua candidatura prevê um diálogo com a população e aposta que os cearenses não cairão na “conversa de um candidato tirado do bolso do colete”, pois, segundo ele, o povo deseja resultados e, portanto, “não adianta dizer que gastei bilhões de reais em determinada área, se o resultado é ruim”, alfinetando os investimentos realizados pelo governador Cid Gomes na área da segurança pública – setor que é alvo de críticas da atual gestão.
Eunício disse, ainda, que “ninguém” impedirá o cearense de ter opção. “O povo quer outra forma de governador através do diálogo, ouvindo as pessoas e não quer saber de atrevimento, xingamento, valentia ou má-educação”, acusou, acrescentando que, muitas vezes, diversos partidos foram pressionados, porém tiveram “coragem” e permanecem na coligação. “Querem usar minha vida contra mim, mas quando entrei na política já tinha uma vida econômica equilibrada”, disse em referência aos questionamentos recentes do secretário de Saúde do Estado, Ciro Gomes (Pros), irmão do governador Cid Gomes, que chamou o peemedebista de “riquinho”.
EDUARDO CAMPOS
Além de críticas aos adversários, Eunício fez referência ao presidenciável Eduardo Campos, tendo em vista que o PSB pode fechar apoio a sua candidatura. Nos bastidores, o apoio deve ser anunciado hoje após conversa com o presidente estadual da legenda, Sérgio Novais. Segundo ele, Campos fez uma “excelente” gestão e com menos recursos que Cid Gomes.
PALANQUE ABERTO
Aos jornalistas após o evento, o peemedebista afirmou que seu palanque estará aberto a todos os presidenciáveis, inclusive a presidenta Dilma Rousseff, candidata à reeleição. Segundo esclareceu, os acordos foram feitos “às claras”, conversando com todas as pessoas que precisavam ser comunicadas. Eunício negou qualquer problema com o ex-presidente Lula.
“Ninguém vai me intrigar com o [ex] presidente Lula, nem com a presidente Dilma. Eu faço tudo às claras”, disse, acrescentando que “tem muita gente querendo ser dono do Lula e da Dilma” e ressaltou que a nível nacional PMDB e PT marcharão juntos nestas eleições. “Portanto, aqui, ninguém é dono de ninguém”, completou. Por fim, o peemedebista mandou um recado: “essa aliança não é contra ninguém. É a favor do Estado do Ceará”, negando que o apoio do PSDB seja uma “traição” à sua proximidade com Lula.
SEM DIÁLOGO
Eunício tentou, ainda, se desvincular da imagem de “adversário” Cid Gomes, de quem era aliado até pouco tempo. Ele explicou que, no primeiro governo, havia um diálogo, inclusive com debates no interior. Agora, nesta segunda gestão, as conversas desapareceram, inclusive, ao final, tentando isolá-lo. “Tentaram de todas as maneiras me isolar”, salientou, lembrando que todos os dias era anunciado um novo partido, até mesmo, “dando cargo a esposa de presidente de partido para cooptar apoio”, disse em referência a aliança do Partido Verde com o palanque do Pros.

Guimarães leva rasteira na escolha para disputa de vaga no Senado

Única certeza entre os pré-candidatos, Guimarães abre mão da disputa

O deputado petista José Nobre Guimarães que, entre os pré-candidatos, era o único nome confirmado para disputar o cargo majoritário ao Senado Federal pelo Pros, teve de desistir da sua candidatura, em nome do projeto político articulado pela aliança.
“Foi o melhor para o PT, para a presidente Dilma, para o nosso projeto. Por tanto, acho que nós fizemos uma grande construção, acredito que isso vai dar resultados importantes para o nosso Estado”, afirmou Guimarães ao jornal O Estado, salientado que, “está tranquilo”, e que a partir de agora, configura-se um novo momento, uma nova batalha.
“O PT ofereceu uma saída para o impasse, agora temos que comemorar”, realçou,  frisando que, agora, disputará a vaga para a Câmara Federal.
REJEIÇÃO
Nos bastidores, há a informação  de que cerca de 15 siglas, das 23 aliadas, inicialmente, eram contra a disposição do nome de José Guimarães ao Senado, tendo assim, a pressão favorecida, levando-o à desistência.
Para o dirigente estadual do PT, De Assis Diniz, o importante é que mesmo com as mudanças, o palanque da Dilma no Ceará foi mantido. De Assis ressaltou que a estratégia era de que o Pros indicasse o candidato ao governo do Ceará, e o PT, como segundo maior partido, apontaria o segundo maior espaço da disputa que é o Senado.
“A nobreza do deputado Guimarães em abrir o debate e construir uma alternativa, mostra o tamanho da expressão política que tem o parlamentar”, disse, salientando que a disposição do Pros em dar a vaga para Camilo Santana, só aumenta o espaço do PT no Estado, onde será expandido com a participação da Dilma e Lula.

Desencanta o nome para disputar sucessão de Cid no governo

Camilo disputará governo pelo Pros

O deputado estadual Camilo Santana (PT) foi homologado, ontem, na convenção do Partido Republicano da Ordem Social (Pros), para concorrer à vaga de chefe do executivo do Ceará. Ao justificar a escolha, o governador Cid Ferreira Gomes declarou que o consenso girou em torno do projeto político que visa reeleger a presidente Dilma Rousseff e aprofundar as políticas sociais desenvolvidas na atual gestão. Na ocasião, não foram divulgados os nomes para concorrer às vagas de vice-governador e a senador. Segundo correligionários, ainda há um impasse para as definições, que devem ser resolvidas até hoje.
Depois de um mês de debate e incertezas, a confirmação do nome de Camilo Santana saiu, no último sábado (28), após o governador Cid Ferreira Gomes reunir os pré-candidatos, no Palácio da Abolição. Ao iniciar o discurso, Cid Gomes reconheceu que a disputa eleitoral “será dura” contra o seu maior opositor, Eunício Oliveira do PMDB, que, ontem, homologou-se candidato pela sigla ao governo do Estado e que terá no palanque, o ex-senador Tasso Jereissati.
Cid comparou a campanha eleitoral ao último jogo do Brasil e Chile. “Vai ser um jogo nervoso, jogo em que os nossos adversários não jogam na bola, jogam na canela, onde chutam da cintura para baixo”, rechaçou, afirmando que a composição peemedebista e tucanos, não passa de um “cambalacho” com interesses pessoais, feitas por “sementes do ódio”, apenas para se ganhar as eleições.
DESPEDIDAS
Segundo o governador, caso eleito, Camilo Santana terá toda “autoridade” e “autonomia” para aprofundar as políticas públicas desenvolvidas e mudar para melhor o que o governo Cid não conseguiu acertar. Em linhas gerais, Cid ainda fez uma autoavaliação de seu governo, redimindo-se de qualquer culpa, sobre políticas que não surtiram resultados. “Qualquer erro, qualquer dificuldade, falha, eu assumo minha responsabilidade, mas eu não tenho compromisso, ao contrário, se errei, se não consegui acertar, e não consegui fazer o que muitos cearenses queriam que eu fizesse, não foi por omissão, má fé, não foi por não ter a determinação de servir ao povo cearense”, desabafou, pontuando que sai do governo, como o mesmo patrimônio de quando entrou, “sem nenhum centavo de real”.
PRIMEIRO DISCURSO
Na mesma linha do governador, o candidato a chefe do executivo, Camilo Santana reverberou que o que pesou na balança para ser indicado a concorrer o cargo, foi em virtude do projeto político alicerçado por “cerca de 21 partidos”, onde tem como principal indicativa, reeleger Dilma e continuar o projeto político de Cid Gomes.
“O meu nome unificou o PT”, disse, frisando que, no último sábado (29), todos que estavam na reunião no diretório estadual, no hotel Amuarama, votaram a favor de sua candidatura. “Por unanimidade, todos os membros do diretório que estavam presente, todos eles votaram a favor, por entender a importância do projeto que está em construção do Brasil e aqui no estado do Ceará”, completou.
DISPUTA COM A OPOSIÇÃO
Sobre a disputa com o candidato pelo PMDB, Eunício Oliveira, Camilo Santana foi enfático. “Na política não se escolhe candidatos, nós vamos fazer um debate sincero, campanha limpa. Tive o privilégio de participar do governo de Cid Gomes durante sete anos, conheço o interior do Estado, conheço o Ceará, sei dos seus problemas e desafios, por tanto, vamos fazer o diálogo com muita humildade e franqueza”, afirmou, advertindo que a aliança gostaria que o PMDB estivesse junto na coligação.
LUIZIANNE LINS
Camilo disse ainda que vai buscar o apoio da corrente ligada à ex-prefeita de Fortaleza, pelo PT, Luizianne Lins, Democracia Socialista (DS). “Nunca tive nenhum problema com nenhuma tendência dentro do PT... Não tenho dúvidas de que Luizianne é muito sensata. Sabe da importância do projeto da Dilma e das mudanças que fizemos no Brasil e no Ceará”, pontuou.
VICE E SENADO
Na convenção realizada na manhã de ontem, no Ginásio da Faculdade Ari de Sá, em Fortaleza, os pré-candidatos Zezinho Albuquerque, Mauro Filho, Domingos Filho, especulados para entrar no páreo estiveram presente. Nos bastidores, especula-se que Zezinho Albuquerque entra na disputa para vice-governador, Mauro Filho para a vaga no Senado Federal e Domingos Filho concorra à vaga para o Tribunal de Contas do Estado.

sábado, 28 de junho de 2014

Mensagem

Para os que nos seguem e os que nos leem, com um carinho muito especial:

A todos vocês, loucos e lúcidos, aos abstêmios, aos que estão de ressaca e aos que se resguardaram para iniciar os trabalho etílicos neste sábado de jogo do Brasil, caminhar sempre rumo aos desejos mais ocultos, pois é preciso escolher um caminho mesmo que não leve a lugar nenhum, ainda assim, caminhar sempre na expectativa de encontrá-lo. Por isso, sigamos em frente, sem temer as esquinas nem as curvas, pois como diz Richard Bach, “longe é um lugar que não existe”. Um sábado bem porreta de bom para todos nós e que o Brasil não nos decepcione. Pra frente Brasil!!!! E para os brasileiros que torcem contra nossa Selação, meu beijim no ombro.

Bom dia com poesia


"TIRA-TEIMA

Tire a faca do peito
e o medo dos olhos
Ponha uns óculos escuros
e saia por aí. Dando bandeira
Tire o nó da garganta
que a palavra corre fácil
sem desculpas nem contornos
Direta: do diafragma ao céu da boca
Tire o trinco da porta
liberte a corrente de ar
Deixe os bons ventos levantarem a poeira
levando o cisco ao olho grande
Tire a sorte na esquina
na primeira cigana ou no velho realejo
Leia o horóscopo e olhe o céu
lembre-se das estrelas e da estrada
Tire o corpo da reta
e o cu da seringa
que malandro é você, rapaz
o lado bom da faca é o cabo
Tire a mulher mais bonita
pra dançar e dance
Dance olhando dentro dos olhos
até que ela morra de vergonha
Tire o revólver e atire
a primeira pedra
a última palavra
a praga e a sorte
a peste, ou o vírus?"

Bernardo Vilhena

Beleza negra

Há 50 anos, a primeira mulher negra era coroada miss no Brasil

Da Agência Brasil Edição: Beto Coura
Primeira Miss Brasil Negra
Há 50 anos, Vera Couto foi coroada Miss Guanabara e representou o Brasil no Miss Beleza Internacional Divulgação/TV Brasil
A carioca Vera Lúcia Couto enfrentou o racismo, subiu na passarela e recebeu a faixa de Miss Guanabara há 50 anos. Foi a primeiramiss negra eleita no Brasil. Em 27 de junho de 1964, na passarela, ela ouviu gritos, vaias e outras manifestações racistas.
"Eu sabia que eu estaria representando uma raça, então, isso me deu muita força para enfrentar o que veio", disse em entrevista aoRepórter Brasil, na TV Brasil. "Tinha uma moça que gritava, corria por entre as mesas, dizendo 'sai dai sua criola, seu lugar é na cozinha'", relatou. Quando venceu o concurso, ela revela que o sentimento foi apenas um: medo. 
A carreira de Vera Lúcia não parou no concurso de Miss Granabara. Ela conquistou o segundo lugar no Miss Brasil e o terceiro no concurso de Miss Beleza Internacional. A ela é dedicada a música Mulata Bossa Nova, de João Roberto Kelly.

Emoçoes a flor da pele

Ligação emocional de torcedores brasileiros com a Copa do Mundo

PESQUISA REVELA QUE OTIMISMO DOS TORCEDORES ESTÁ EM ALTA E 82% CREEM NO HEXA

Fifa ingressos
A TNS Brasil apresentou os resultados da segunda etapa da pesquisa “Brasil além da bola” que leva em consideração a ligação emocional entre os torcedores e a Seleção, além de outras equipes presentes na Copa do Mundo do Brasil 2014.



De acordo com os resultados, 82% dos brasileiros acreditam que a Seleção vai ganhar a competição e se sagrar hexacampeã. Além disso, 62% disseram que não irão virar a casaca e torcer para outra equipe no caso de eliminação do Brasil. Com 13% de descendentes de portugueses, 11% de italianos, 6% de espanhóis e 5% de alemães, o otimismo deve ser ainda maior agora que apenas os alemães garantiram classificação para as oitavas de final.

O levantamento revela também como os brasileiros percebem as seleções:

Brasil: está posicionado no segmento emocionante e amigável. De acordo com os entrevistados, a personalidade da equipe é animada, divertida amorosa, apaixonada e intensa. Eles consideram a seleção “verde e amarela” como uma equipe que joga de maneira criativa, que tem jogadores de alta qualidade, tem torcedores que apoiam o time e um técnico bem preparado.

México: os brasileiros consideram os mexicanos um povo sociável e popular, mas também sentimental e protetor. Acreditam que, assim como o Brasil, possui jogadores de alta qualidade, mas acham que os mexicanos se diferenciam por ter um time bem integrado, com jogadores jovens e descontraídos.

França: é percebida pelos brasileiros como mais focada e disciplinada com jogadores respeitados, admirados, dedicadas e fiéis. A seleção francesa em geral é descrita como integrada e potente em campo.

Alemanha: é vista pelos brasileiros como inteligentes, analíticos e respeitados, focados e sérios. A seleção é percebida como integrado, forte defesa e com o melhor formato.

Polícia Federal prende argentino suspeito de praticar tráfico internacional

A Polícia Federal (PF) prendeu ontem (26) o argentino David Julio Ricardo Gil (48) em sua casa na ilha de Itaparica, Bahia. Gil é procurado pela Interpol por ser suspeito de tráfico internacional de drogas e estava foragido da polícia argentina desde 2010, quando as autoridade encontraram um laboratório de refino de drogas em sua casa, na província de Córdoba.

A prisão de Gil se deu por meio de um mandado de prisão preventiva para extradição e foi informada ao Consulado Argentino em Salvador, mas os policiais não encontraram nenhum entorpecente ou dinheiro durante a ação. O argentino foi encaminhado para a Superintendência da PF na capital baiana e vai aguardar a decisão da Justiça.


A prisão foi uma operação coordenada pelo Centro de Cooperação Policial Internacional, em Brasília, que reúne mais de 200 policiais de diversas partes do mundo para a segurança na Copa 2014, com apoio da Superintendência Regional da Bahia, na parte operacional. O argentino foi preso depois do pedido de extradição do governo da Argentina e do rápido cumprimento do mandado de prisão cautelar, expedido pelo Supremo Tribunal Federal.  O preso aguardará o julgamento definitivo pelo STF do pedido de extradição argentino. Com informações da Comunicação Social da Polícia Federal no Distrito Federal.

Brasil comemora turismo em alta

Aldo Rebelo festeja lucros com turistas estrangeiros na Copa

GASTOS JÁ CHEGARAM A US$ 365 MILHÕES, 24% MAIS QUE NO MESMO PERÍODO DE 2013

Aldo Rebelo Jerome Valcke
Aldo comemorou o resultado que computa menos de uma semana de Copa

Os turistas estrangeiros que vieram ao País este ano já gastaram US$ 365 milhões até o dia 18 de junho, um número 24% superior ao registrado no mesmo período do ano passado. Ao mesmo tempo, os gastos de brasileiros no exterior caíram 11%. Os números foram anunciados pelo ministro do Esporte, Aldo Rebelo, na manhã desta sexta-feira, um dia depois do término da primeira fase da Copa do Mundo.

“A Copa gerou para o Brasil um duplo efeito benéfico: aumentou os gastos de estrangeiros e diminuiu nossos gastos no exterior,o que ajuda a equilibrar as contas públicas”, afirmou Rebelo.
O incremento na receita, de acordo com o ministro, está diretamente relacionado à Copa do Mundo, definida pelo ministro como “um sucesso”, dada a cooperação entre as três esferas de Governo. Ainda segundo Rebelo, o Mundial foi responsável pela criação de quase um milhão de empregos diretos e indiretos.

Ainda segundo Rebelo, até o momento os governos federal, estadual e as prefeituras das cidades-sede já realizaram 185 reuniões operacionais, que envolveram 29 órgãos do governo federal e 90 de prefeituras e governos estaduais. Ao todo, 2.200 gestores atuaram no planejamento da Copa. (Jamil Chade e Marcio Dolzan/Estadão Conteúdo)

TecServ ainda não se pronunciou formalmente sobre a emissão do aviso prévio dos colaboradores

TECSERV PERMANECE OMISSA À FUNDARPE

 Empresa que terceiriza quase 40% do quadro de funcionários do órgão ainda não se pronunciou sobre as rescisões envolvidas no contrato que vence na segunda, dia 30

Além de atrasos de salários, dissídios e depósitos do FGTS de funcionários terceirizados da Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe), como vem ocorrendo desde 2012, outras questões pesam agora contra a atuação da TecServ. A empresa licitada é responsável pela terceirização de quase 150 funcionários que atuam no órgão estadual.


O principal problema é que a TecServ ainda não se pronunciou formalmente sobre a emissão do aviso prévio dos colaboradores, que podem ficar a ver navios a partir da próxima terça, caso a empresa sergipana não garanta os direitos trabalhistas de rescisão de contrato com os seus empregados que prestam serviço à Fundarpe. O contrato com a fundação vence no dia 30 e este é o prazo para a empresa se posicionar.

Em uma segunda reunião com os terceirizados, realizada na tarde de ontem, o presidente da Fundarpe, Severino Pessoa, disse que havia marcado, pela manhã, uma conversa com um representante da TecServ para resolver a questão, mas ninguém apareceu. "Também ligamos para Aracaju e não conseguimos falar com ninguém. Só conseguimos falar com uma funcionária que representa a empresa em Pernambuco, mas não adiantou", disse.

O JC também se comunicou, na tarde de ontem, com a referida funcionária e ela afirmou não estar autorizada a se pronunciar. Ficou de repassar a questão para um dos diretores e nenhum deles procurou a reportagem, que novamente não conseguiu ter acesso à empresa. "Mandamos uma carta há um mês para a empresa e ela não se pronunciou. Mandamos outra hoje novamente, cobrando uma posição. A TecServ não afirmou oficialmente que não vai rescindir os contratos, como é de sua obrigação, mas sabemos que falou isso a alguns funcionários e tudo isso está gerando um clima de insegurança nos colaboradores", afirmou Pessoa.

Durante a reunião, vários terceirizados afirmaram que as tentativas de contato com a empresa foram respondidas com ironias do tipo "estude a legislação" ou "venham para Aracaju que aqui tem trabalho". Mas reza no contrato que a atuação dos funcionários deve ser em Pernambuco.

"Eu não vou me demitir, tenho meus direitos. Não sou contra a Fundarpe, mas há várias questões envolvidas", disse uma das terceirizadas, contratada pela TecServ desde 2012. Assim como ela, outros afirmam que não é de hoje que a comunicação com a empresa é falha.

Enquanto isso, estamos no dia 28 de junho. Agora é aguardar e torcer para o caso TecServ, que mantém outros contratos com o governo de Pernambuco, não se transforme numa questão judicial complexa, como se referiu Pessoa ontem. (JC Online).

Copa do Mundo de Futebol: Rumo às quartas...

VITÓRIA SOBRE BRASIL VALE UMA COPA DO MUNDO PARA SELEÇÃO CHILENA



Chile também vai contar com o apoio dos seus torcedores. Foto: AFP
Chile também vai contar com o apoio dos seus torcedores. Foto: AFP
A vitória contra a Espanha por 2 a 0 no Maracanã foi considerada histórica. Mas o verdadeiro ‘antes e depois’ do futebol chileno pode ganhar um novo marco neste sábado, no Mineirão. Eliminar o favorito Brasil, que joga em casa e com a torcida a seu favor, significa, para o Chile, uma mudança de patamar como seleção. É um jogo que vale uma Copa Repetir uma semifinal como em 1962 ou almejar um inédito título se tornaria um objetivo palpável. Até 2010, os espanhóis não haviam vencido uma. Por quê, então, o Chile não pode sonhar?
 
"Falam que não temos nada a perder. Eu vejo o contrário. Temos uma grande oportunidade de fazer história. Somos uma equipe, nosso conjunto funciona contra qualquer equipe", disse o goleiro e capitão Claudio Bravo, anunciado há três dias como novo reforço do Barcelona.
 
Esse time montado por Jorge Sampaoli é rotulado como uma das melhores seleções chilenas de todos os tempos, embora não tenha um zagueiro do quilate de Elias Figueroa - e talvez seja exatamente a defesa seu ponto fraco. Mas o que não se pode dizer é que essa geração de Gary Medel, Arturo Vidal e Alexis Sánchez não tenha fome de ganhar. Segundo os próprios jogadores, houve uma mudança de mentalidade.
 
"Nunca o chileno teve fé contra as potências. A mentalidade que temos de ter é a de Gary, a de Arturo. Temos de acreditar que somos melhores", disse Alexis Sánchez, numa rara e divertida entrevista na Toca da Raposa, sentado ao lado do lateral-direito Isla. "Eu digo que Isla é o melhor do mundo na sua posição, mas ele não acredita."
 
Arturo Vidal, principal jogador do Chile, defende, com afinco, a condição de que sua seleção joga de igual para igual contra qualquer adversário. Valdivia, outro jogador que dá declarações fortes, falou sobre o histórico brasileiro de vitórias. "História é para museus", disse. "Esperamos mudar o retrospecto negativo contra o Brasil."
 
RETROSPECTO RUIM - O retrospecto é amplamente negativo para o Chile. Grosso modo: eles só vencem o Brasil a cada dez jogos. Na história, ganharam sete jogos de 68 disputados. Marcaram 58 gols e sofreram praticamente o triplo (159), segundo dados da Fifa. "Será a partida mais importante da minha vida", resumiu o lateral-esquerdo Mena. "E será importante para revertemos esse histórico, para deixar para trás essa marca negativa que temos contra o Brasil." 
 
A virada desse Chile, o que eles chamam de mudança de mentalidade, começou com a chegada de Marcelo Bielsa, treinador na última Copa, apesar da eliminação para o Brasil, também nas oitavas de final. Houve uma turbulência com Claudio Borghi, demitido. Mas Sampaoli recolocou a seleção nos trilhos. Assumiu no meio das Eliminatórias, levando o Chile ao terceiro lugar, atrás de Argentina e Colômbia.
 
Em comum, esses três treinadores são argentinos. E Sampaoli admira o trabalho de Bielsa, embora tenha um estilo próprio. O técnico do Chile não prometeu a vitória ou a classificação às quartas. Mas revelou que gostaria, ao final da partida, de sentir orgulho de sua seleção. "A imagem que quero ver é a imagem de um grupo de jogadores que deu seu máximo, propôs sua maneira de jogar contra todas as adversidades e fez seu jogo histórico", afirmou.
Fonte: Agência Estado

sexta-feira, 27 de junho de 2014

"Vapt-vupt"

 Pescadas do Claudio Humberto

Receita fechou os olhos para os milhões de Gana
Está cada vez mais enrolada a operação vapt-vupt de internar no Brasil US$ 3 milhões para molhar a mão dos jogadores da seleção de Gana, que ameaçavam não jogar contra Portugal. A Receita Federal do Brasil, de forma arrogante, recusou-se a “comentar assunto específico”, para não ter de explicar por que fechou os olhos ao ingresso da dinheirama no País sem recolhimento de tributos, e com direito a escolta policial.

Dinheiro da Fifa?
Suspeita-se que o dinheiro no jatinho era da Fifa, que tem isenção fiscal e quis evitar o cancelamento do jogo Portugal x Gana.

Mundo bizarro
Foi digno de filme dos Irmãos Marx o jatinho noturno de Gana com US$ 3 milhões cash. Só faltou a trilha sonora “Yes, nós temos bananas”.

Acredite se quiser

Líder do PMDB, Eunício se alia ao PSDB no CE

Líder do PMDB no Senado e candidato ao governo do Ceará, Eunício Oliveiracomunicou ao Planalto que vai mesmo fechar uma aliança com o PSDB de Aécio Neves. Foi o que lhe restou depois que Dilma Rousseff e o PT federal o preteriram no Estado, aliando-se ao Pros dos irmãos Cid e Ciro Gomes.
Segundo o vice-prefeito de Fortaleza, Gandêncio Lucena, filiado ao PMDB, Eunício informou sobre sua decisão a dois personagens do governo Dilma: o correligionário Michel Temer, vice-presidente da República; e o ministro petista Aloizio Mercadante, da Casa Civil.

A chapa de Eunício deve ter como candidato a vice-governador Roberto Pessoa (PR), ex-prefeito de Maracanaú. Na vaga de candidato ao Senado deve figurar o ex-senador e ex-governador Tasso Jereissati ou alguém indicado por ele. O PMDB cearense marcou sua convenção para domingo (29).

(blog do Josias.)

Vice do PSB: Pelo visto Eduardo Campos não fez boa escola

Marina Silva terá ‘presença restrita’ nos Estados

Às vésperas da convenção nacional do PSB, marcada para este sábado (28), a Rede Sustentabilidade divulgou uma nota de sua Executiva nacional. No texto, a agremiação de Marina Silva realçou sua “independência” em relação ao partido de Eduardo Campos. Cuidou também de fixar as premissas que guiarão a participação de Marina nas campanhas estaduais. A presença dela será “restrita”.

De resto, Marina e seus correligionários, fizeram questão de relembrar que são meros hóspedes na legenda de Campos. Vivem o entreato da campanha, mas já ensaiam seus papeis para a saída:
“A filiação transitória democrática permite que, tão logo a Rede obtenha seu registro na Justiça Eleitoral, o que deve ocorrer nos próximos meses, seus militantes formalmente vinculados ao PSB poderão se transferir para a legenda de origem sem o risco de qualquer tipo de sanção partidária.” O texto enfatizou: “Portanto, os militantes da Rede têm data para deixar o PSB.”

A nota foi elaborada a pretexto de esclarecer notícias sobre “supostas dificuldades no relacionamento entre a Rede e o PSB)”. Para compreender a peça, é preciso ler as linhas e as entrelinhas. Tomado assim, por inteiro, o contexto revela que as dificuldades são reais, não “supostas.

Mas Marina e seus correligionários não fazem disso um cavalo de batalha: “Rede e PSB reconhecem que ambos os partidos são independentes e com identidades próprias que devem ser respeitadas. Isso lhes assegura autonomia política sem comprometimento da aliança programática-eleitoral firmada em 5 de outubro passado.”

Fica claro na nota que a Rede não se considera representada nos acordos partidários que o PSB firmou em alguns Estados, como nas coligações com o PSDB em São Paulo e com o PT no Rio. Sem mencionar as praças onde há desavenças, o texto informa que Marina não se sente comprometida com acertos que considera desacertos.

Na campanha presidencial, informa a nota, a vice de Eduardo Campos “participará de atividades […] em qualquer unidade da federação.” Porém, “sua presença em eventos relativos às candidaturas aos governos estaduais ficará restrita aos locais nos quais a Rede está vinculada a uma das chapas da disputa.”

Ficou entendido também que o objetivo central de Marina é o de oferecer ao eleitorado uma alternativa à petista Dilma Rousseff e ao tucano Aécio Neves, cujos partidos monopolizam as sucessões presidenciais há duas décadas.

O problema é que, até aqui, Eduardo e Marina ainda não foram percebidos pelo grosso do eleitorado como uma opção “à polarização que nos últimos 20 anos domina a cena política do país.” Na opinião da Rede, essa polarização conduz o Brasil “à estagnação de seu processo democrático, descaracteriza o espírito público que deve conduzir o Estado e coloca sob risco as conquistas econômicas e sociais obtidas nas últimas décadas.”

Em resumo, o que a nota da Rede informa, com outras palavras, é o seguinte: a vice Marina Silva, numa comparação menos superficial com Eduardo Campos, é versa. O que faz valer a pena o esforço para atenuar as diferenças é o propósito comum de convencer o eleitorado de que vale a pena tentar algo que interrompa o vice-versa de PT e PSDB. Só falta combinar com os russos

Dolar em baixa, bom pra viajar

Dólar fecha abaixo de R$ 2,20 pela primeira vez
A cotação do dólar comercial fechou o mercado de câmbio, ontem, cotado abaixo de R$ 2,20, pela primeira vez, em quase oito meses. A moeda norte-americana encerrou o dia com queda de 0,44%, sendo comercializada a R$ 2,196. O valor é o menor desde 30 de outubro do ano passado, quando a cotação tinha fechado a R$ 2,192 para venda. Algumas medidas adotadas pelo Banco Central (BC), bem como o baixo resultado do Produto Interno Bruto (PIB) dos Estados Unidos, colaboraram para o resultado.
O câmbio começou a sessão em alta. Na máxima do dia, por volta das 9h15, o dólar comercial chegou a ser vendido a R$ 2,213. Nas horas seguintes, a alta diminuiu, até que a cotação inverteu a tendência e passou a cair por volta das 15h30 até encerrar no nível mínimo do dia. Desde que o BC anunciou, na terça-feira (26), a extensão do programa de venda de dólares no mercado futuro até pelo menos o fim deste ano, o dólar não para de cair. Na quarta-feira, a moeda norte-americana já havia caído 1%.
Previstas para acabar no fim do mês, as intervenções do BC para segurar o preço do dólar no mercado foram prorrogadas até 31 de dezembro, com possibilidade de serem estendidas por mais tempo. A autoridade monetária continuará a injetar US$ 200 milhões por dia em contratos de swap cambial (venda de dólares no mercado futuro) e a leiloar dólares das reservas internacionais, com compromisso de recompra em momentos de instabilidade no câmbio.

PRETO NO BRANCO, coluna publicada no jornal O ESTADO

Sexta-feira, 27 de junho de 2014
Teste para os presidenciáveis
Contra todas as previsões pessimistas da oposição e de parte da mídia que torce contra o governo da presidenta Dilma, a Copa das Copas é um sucesso retumbante. Está tendo Copa, o que não está tendo é o propalado caos e os esperados protestos violentos que levariam, quiçá, à queda da presidenta Dilma. Essa era a esperança da oposição que até agora se mostrou incapaz de capitalizar para si a simpatia daqueles que antipatizam com Dilma e com o PT já que, ao que parece, a antipatia não está direcionada à pessoa da presidenta, diferentemente do que alguns quiseram fazer crer, nem propriamente a seu partido, mas ao que ambos representam que é a própria política partidária e o modo de se fazer política através desses partidos.
Nem Aécio Neves, nem Eduardo Campos, nem mesmo Marina Silva tiveram a coragem que Dilma teve de comparecerem a um jogo em uma das Arenas da Copa para testarem suas popularidades. Todos se recolheram e nisso demonstraram estar em condição de inferioridade em relação à presidenta que teve postura de estadista ao enfrentar o que os demais não tiveram capacidade de enfrentar. É possível que indo assistir aos jogos em cidades que não fossem seus estados de origem, essas figuras sequer fossem percebidas, mas nem assim se atreveram. Será que no Maracanã ou no Mané Garrincha alguém vaiaria Eduardo se ao andar pelas ruas fora de Pernambuco ninguém sequer o reconhece? O mesmo se diga de Aécio Neves, acaso fosse assistir a um jogo na Arena Castelão ou na Arena Pernambuco. Seria um bom teste, bem melhor do que as pesquisas, ver esses candidatos andando pelas ruas e assistindo aos jogos em Arenas longe de seus currais eleitorais e observando o quanto seriam percebidos pela população de cada lugar, aí sim, saberíamos as chances de cada um, saberíamos se espontaneamente  alguém se lembrará deles na hora de votar.
CURTO CIRCUITO

• Maus conselhos -  A impressão que se tem é a de que a presidenta Dilma, ao lado de alguns bons conselheiros, tem também, para lha dar maus conselhos, maus palpiteiros. O decreto criando mais Conselhos Populares, só pode ser coisa dos radicais do PT. Trata-se de mais uma anomalia. No Brasil já existem dezenas de milhares de “conselhos”. Para nada.
• Perdidaço - Para analistas políticos “lá de cima”, e até mesmo petistas mais sensatos, nem a argúcia e o jogo de cintura do ex-presidente Lula estão conseguindo deslindar o “rolo” criado pelo PT país a fora com os aliados. Eles temem, que o PT, mesmo se ganhar a eleição presidencial, vai afastar mais de 40% dos atuais aliados no Legislativo.
• Nó cego? Até ontem à tarde, o processo sucessório do Ceará poderia estar a caminho de um desfecho capaz de acabar com o suspense do momento. Mas isso, em termos de candidato a governador e vice. Porque, no caso do Senado Federal, presenciamos um dos nós mais cegos da política cearense, entre os aliados PT e PCdoB.
• Grande nome - O PPS, que tem na presidência regional, Alexandre Pereira, ainda não havia decidido a quem apoiar para a Câmara Alta de Brasília. Entre lideranças do partido, há quem defenda que o candidato àquele cargo seja o próprio Alexandre, sem manchas e sem rejeições.
• Negando - Tem cabido ao secretário da Saúde do Estado, Ciro Gomes, desfazer alguns “rolos” internos na coligação governista, gerados pela questão da vaga do Senado. Para ele, não existe rejeição de nenhum aliado em relação ao deputado Guimarães. Mas há rejeições, a começar pelo PPS, que não sintoniza com as ondas do PT.
• Decisão - Estava marcado para ontem o julgamento dos recursos dos condenados do mensalão, sobre o direito de trabalhar fora. O próprio relator, Luiz Roberto Barroso, “unha e carne” com o PT e com os petistas, temia ter que julgar monocraticamente, se não houvesse tempo para todos os juízes darem seus votos. Ele temia  repercussão...
• Desencanto - Na visão do deputado Roberto Mesquita (PV) a notícia de que 6.600 gestores estão inelegíveis por conta da lei da Ficha Limpa, seria motivo de festas, se o Brasil não fosse o “paraíso” dos recursos para corruptos, que, geralmente, quando condenados, ficam rindo, sabendo que, em uma instância qualquer da Justiça serão absolvidos.
Sugestões, informações   e críticas:
jbrontee@uol.com.br  ou
www.blogdabronte.blogspot.com.br.