terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

O fim de uma praga?

Julieta Brontée                 

No último dia 16, de acordo com informações do Portal do Senado Federal, o senador Eunício Oliveira (PMDB), presidente daquele parlamento estaria cobrando prioridade para a tramitação e aprovação de algumas matérias que considerava urgente. Uma delas é a PEC 57, mais conhecida como PEC da Desburocratização. A matéria é das mais importantes e necessárias, mas é de tal monta a onda de escândalos que permeia as atividades parlamentares, que esta acabou não merecendo nenhum destaque na imprensa.

Se o representante cearense, dada a alta importância de que se acha revestido, conseguisse a aprovação urgente dessa matéria, seguida da sua imediata vigência, estaria contribuindo para livrar uma das piores pragas que tem assolado principalmente o nosso mundo administrativo. Estaríamos deixando de sermos alvos de chacotas internacionais, acusados de possuir o mais avacalhado dos sistemas burocráticos do Planeta, uma maldição, que só tem servido para atrasar processos e encher os alforjes dos burocratas.

m momentos assim, é bom acreditar no melhor, mas os exemplos negativos nesse sentido têm sido abundantes. Se não, vejamos o caso do ministério da Desburocratização, entregue há duas décadas ao cearense Paulo Lustosa, pasta que terminou sendo extinta por absoluta falta de condição para quem dela cuidasse. É hora, portanto, de torcer para esse esforço do senador Eunício se torne realidade. Ou continuaremos ver a nossa administração afogada num oceano de papel, que é a festa dos exploradores.

CURTO CIRCUITO

PRAGA – No Brasil é assim. Estamos vendo 30 milhões de brasileiros movendo-se para meter a mão nos mais de R$ 35 milhões do FGTS acumulados em contas inativas, um presente “do céu”, num momento em que o desemprego e a grana curta sufocam tanta gente. Só que, como sempre, elementos negativistas do PT, como o deputado Manoel Santana vêm a público para dizer que se trata de “despistar” a Reforma da Previdência.

CAMINHO CERTO – Em Brasília, o prefeito Roberto Cláudio participou de importante reunião da  Coordenação de Aprendizado de Pessoal de Nível Superior CAPES, destinado à  preparação de professores para a ampliação, no Ceará, do Programa de Educação Integral e profissional. Trata-se de um dos mais importantes projetos educacionais para a cidade de Fortaleza. O objetivo é dar condições profissionais para a juventude.

JUSTIFICANDO – Sobre esse projeto, os deputados da bancada federal justificam o seu apoio, por entenderem que se trata do caminho mais eficiente para a preparação de jovens profissionalmente num país marcado pelo desemprego. Para o deputado Zé Airton (PT), o que é preciso, no momento, é acabar com a mentalidade de que é preciso encher o país com advogados, engenheiros, médicos e outros, em prejuízo dos cursos profissionalizantes.  
    
SALVANDO – Ocorreu uma das mais importantes reuniões do Conselho Estadual de Preservação do Patrimônio – CORPA. Nela foi aprovado o tombamento definitivo do complexo de edifícios do antigo Colégio Cearense. Com essa medida, fica protegido patrimônio importante, por muito tempo perigosamente exposto à sanha da especulação imobiliária e das seitas evangélicas. Mas há outros patrimônios a serem salvos.

ESPERANÇA – Depois de assistirmos preocupados à maneira como as autoridades municipais, caindo na “lábia” dos líderes taxistas, começavam a mostrar tendência para fechar as portas da cidade aos profissionais do aplicativo UBER, presenciamos uma mudança de rumo, com a possibilidade de esse sistema ser submetido a um plebiscito. Se este ocorrer, o UBER, que pratica preços muito mais em conta, será regulamentado.


DESESPERO – Quem acompanha alguns programas radiofônicos dos quais participam pessoas do interior do estado, não entende como essa gente ainda não abandonou suas cidades, tal é a fúria e a violência da bandidagem. Não se trata apenas de explodir agências bancárias, mas, principalmente, a invasão das cidades indefesas por traficantes de drogas e de pessoas, que exploram os jovens, e atraem garotas para a prostituição.

(Coluna publicada no jornal O ESTADO)   



Nenhum comentário:

Postar um comentário