sábado, 31 de janeiro de 2015

Eleição no Congresso Nacional é briga de gigantes

PLANALTO MONTOU 'FORÇA-TAREFA' CONTRA CUNHA

:
Diante do risco de o líder do PMDB, Eduardo Cunha, vencer a disputa pela presidência da Câmara dos Deputados, o núcleo político da presidente Dilma Rousseff montou uma tropa de choque e no decorrer da semana, ministros e governadores do PT pressionaram deputados da base aliada e fizeram telefonemas pedindo votos para o deputado Arlindo Chinaglia (PT­-SP); mas a força-tarefa não deu muito certo; comandante do Ministério da Defesa e articulador político do Planalto, Jaques Wagner não esconde seu temor; "Terremoto é sempre até o dia do acontecimento. Depois que acontece, fazer o quê?"; nos bastidores, há informação de que muitos petistas já jogaram a toalha

247 - Diante do risco de o líder do PMDB, Eduardo Cunha, vencer a disputa pela presidência da Câmara dos Deputados, o núcleo político da presidente Dilma Rousseff montou uma tropa de choque e no decorrer da semana, ministros e governadores do PT pressionaram deputados da base aliada e fizeram telefonemas pedindo votos para o deputado Arlindo Chinaglia (PT­-SP). Mas a força-tarefa não deu muito certo, segundo matéria do jornal O Estado de São Paulo.
Apesar de dizerem que a situação de Chinaglia melhorou, nos bastidores, segundo a publicação, os petistas já jogaram a toalha. Com apoio oficial de alguns partidos da base e o informal de integrantes da oposição, Cunha é o favorito para a disputa deste domingo (1º), mesmo se a disputa for em dois turnos.
"Terminada a eleição, vamos tentar lamber as feridas e unificar a base aliada do governo", disse ao Estado de São Paulo o ministro das Relações Institucionais, Pepe Vargas. 
Comandante do Ministério da Defesa e articulador político do Planalto, Jaques Wagner também não esconde seu temor. "Terremoto é sempre até o dia do acontecimento. Depois que acontece, fazer o quê?".
E não é à toa que o Planalto teme Eduardo Cunha na presidência da Câmara. Ele é um dos peemedebistas 'rebeldes' que defendem o fim da aliança com o PT, fez de tudo para barrar a Medida Provisória dos Portos, incentivou a criação da CPI da Petrobras e articulou um movimento para rejeitar o decreto que instituía os conselhos populares.
O governo teme também que Cunha, em eventual mandato de presidente da Câmara, estimule votações contrárias aos interesses da equipe
econômica e até defenda a abertura de um processo de impeachment da presidente Dilma, se não for atendido em suas reivindicações.
Fonte: Brasil 247

MP aumenta alíquotas do PIS e da Cofins sobre importação de bens e serviços

O governo publicou na sexta-feira (30), em edição extra do Diário Oficial da União, a Medida Provisória (MP) 668, que trata do aumento das alíquotas da contribuição para o Programa de Integração Social (PIS/Pasep Importação) e da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins-Importação).  A alíquota subirá de 9,25% para 11,75%, conforme já anunciado pelo Ministério da Fazenda.

A medida provisória altera uma lei de 2004 que estabelece as alíquotas de Pis e Cofins sobre a importação de bens e serviços. O aumento das alíquotas passa a valer quatro meses após a publicação da MP.

De acordo com o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, a alta foi necessária para corrigir a distorção provocada pelo Supremo Tribunal Federal (STF), que eliminou o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) da base de cálculo do PIS/Cofins das mercadorias importadas. Segundo ele, o governo espera obter R$ 700 milhões neste ano com os tributos sobre as mercadorias importadas.
Fonte: Agência Brasil

Lá vem aumento nos preços dos combustíveis e demais derivados do petróleo

Aumento de impostos sobre combustíveis começa a valer amanhã

A partir deste domingo (1º) começa a valer o decreto do governo federal que altera as alíquotas do Programa de Integração Social (PIS) e da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) sobre a gasolina e o óleo diesel. O aumento dos dois tributos corresponderá a R$ 0,22 por litro da gasolina e R$ 0,15 por litro do diesel, segundo o ministro da Fazenda, Joaquim Levy.
A Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) sobre a gasolina e o óleo diesel aumentará no dia 1º de maio, quando poderá haver a redução do PIS e da Cofins. As medidas fazem parte do aumento de tributos anunciado na semana passada pelo governo, que espera obter R$ 12,2 bilhões com a arrecadação.
A Petrobras informou que irá repassar o aumento dos tributos para o preço dos principais derivados do petróleo nas refinarias. A elevação preço para o consumidor nos postos de combustíveis irá depender da decisão de cada estabelecimento, e deve ocorrer à medida em que os estoques atuais forem renovados.
Fonte: Agência Brasil

PRETO NO BRANCO, coluna publicada no jornal O ESTADO

      Pressão dos movimentos sociais
         Na falta de base forte no Congresso Nacional para dar sustentação ao governo, caberá aos movimentos sociais fazer a pressão necessária para que os avanços sociais conquistados nos anos em que o PT comandou o Executivo Federal não se percam. Os que elegeram Dilma o fizeram, aliás, não apenas para que esses avanços fossem mantidos, mas para que cheguem muito além.
         Os escândalos de corrupção e a incompetência da comunicação do governo na divulgação das ações do governo Dilma, por pouco não fizeram com que o quarto mandato do Partido dos Trabalhadores na presidência da República fosse pro brejo, antes mesmo que a vaca começasse a tossir.
         Agora com a vaca tossindo, resta ao PT e ao governo, hoje reféns de um Congresso e de uma coalisão conservadoras, contarem com a pressão das ruas e das suas bases históricas nos movimentos sindicial, estudantil e social para justificar o porquê de anunciar medidas de austeridade. Por exemplo, as que reduziram certas garantias dos trabalhadores, como aquelas ligadas ao seguro desemprego para, logo em seguida, voltar atrás.
         A pressão dos movimentos será sempre o álibi necessário para o governo fazer ou deixar de fazer tudo aquilo que sua fraqueza no Parlamento não lhe permite fazer espontaneamente.

                                   CURTO CIRCUITO
Roubalheira
            Segundo fontes do TCE e TCM, aquelas duas instituições poderão trazer a público um documento conjunto, com a relação de todos os crimes de fraudes e desvios de prefeitos, gestores e presidentes de Câmaras Municipais nos últimos anos. Seria o caso de se colocar tal documento em praças públicas, para que os acusados criem vergonha.
Sem jeito
            Na visão do senador Agripino Maia (DEM-PB), o que deixa os brasileiros desencantados em relação às denúncias feitas sobre a roubalheira em nível federal tipo mensalão,  petrolão e outros “ãos”, é que, devido à quase certeza de que muitos serão inocentados, a turma dos estados e municípios, se acha com o direito às mesmas trapalhadas.
Boa pedida
            A respeito da “novela” da realização ou não de festas carnavalescas no interior, devido à situação climática, que mina a economia do estado, o deputado Roberto Mesquita (PV) dá razão ao comando da APRECE, que está sugerindo a formação de parcerias entre comerciantes de cada município, para esse evento, que sempre dá lucro.
 Entanguiu
            O ex-todo-poderoso Partido dos Trabalhadores, mostra-se cada vez mais anêmico, como é o caso da eleição para a presidência da Câmara dos Deputados. Incapaz de eleger o seu candidato Chinaglia, o PT se humilha frente a partidos pequenos e até a nanicos, pela formação de um “blocão” para salvar o candidato. Com certeza, já tenta tarde.
Peia nele
                Em Brasília, um deputado do PT, abordado sobre mais um aumento no preço da farinha de trigo, e dando uma de Maria Antonieta, que mandou os franceses famintos comerem brioche, afirmou que os incomodados deveriam passar a “comer tapioca”. Não sabe o energúmeno, que a goma da tapioca está mais cara do que a massa do trigo.
Saudades
            Quando vemos as “bacurauzadas” e “mancadas” da diplomacia brasileira nos governos do PT, não dá para esquecer que ali já tivemos um Oswaldo Aranha, chanceler da era do presidente Vargas. Aranha chegou a presidir a Assembléia Geral da ONU, em que foi criado o Estado do Israel. A era dos grandes diplomatas é hoje coisa do passado.
Vai chover
            Em 2016, que torcemos seja ano de bom inverno, existe a certeza de que teremos um tipo de “chuva”, ou seja, de candidatos à sucessão do prefeito Roberto Cláudio. A “infieira” de aspirantes à desbancar o prefeito, já surgem os deputados Heitor Férrer, Capitão Wagner, Eunício Oliveira, Renato Roseno, Elmano e outros, e outros.
Habilitados
A Agência Nacional de Aviação Civil divulgou nota informando que Marcos Martins e Magela Barbosa, respectivamente, piloto e o copiloto  da   aeronave que caiu e matou o ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos, e mais seis pessoas, estavam aptos para pilotar o avião.Ou seja, a tripulação tinha licença e habilitação válidas.
Recado
Dilma na abertura da primeira reunião com seu staff prometeu "vigoroso processo de aprimoramento de gestão" da Petrobras e implantação da "mais rigorosa estrutura de governança e controle" de uma empresa no Brasil. Falou, ta falado.
Críticas
Ainda inconformado com a derrota nas urnas, o senador Aécio Neves continua pegando no  pé da presidenta Dilma Rousseff. Início da semana, Aécio criticou duramente o discurso da presidenta  ao abrir a reunião ministerial. Entre outras, o tucano disse que Dilma deveria pedir desculpas aos brasileiros por conta da corrupção na Petrobras.
Sugestões, informações   e críticas:
jbrontee@uol.com.br  ou
blogdabronte.blogspot.com.br

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Esse Cerveró tem moral pra ameaçar alguém?

Citação de Dilma foi um recado de Cerveró

Não foi por um simples engano que a defesa do ex-diretor da Área Internacional da Petrobras Nestor Cerveró arrolou a presidente Dilma Rousseff como testemunha de defesa do executivo em um dos processos da Operação Lava-Jato na Justiça Federal do Paraná. A manobra foi intencional, mais um recado dele ao Planalto de que não vai aceitar sozinho a culpa pela compra da Refinaria de Pasadena (EUA), em 2006. O negócio deu prejuízo de US$ 792 milhões, segundo o Tribunal de Contas da União (TCU).
O advogado de Cerveró, Edson Ribeiro, protocolou nesta segunda-feira a defesa no processo em que o ex-diretor é acusado de receber propina por contratos de navios-sonda. Dilma estava entre as testemunhas porque foi presidente do Conselho de Administração da Petrobras até 2010, quando concorreu à Presidência pela primeira vez.
Menos de três horas depois, o advogado retirou o nome dela da lista, alegando um erro identificado pelo próprio Cerveró. O Conselho não tinha ingerência sobre esse tipo de contrato.
Segundo uma fonte próxima a Cerveró, o erro foi proposital para mostrar a disposição dele de apontar a responsabilidade de Dilma na compra de Pasadena, esse sim um tipo de negócio que só poderia ser feito com aval do Conselho. Cerveró nunca engoliu o fato de Dilma, em março de 2014, tê-lo acusado de induzir o Conselho a erro com um resumo executivo “técnica e juridicamente falho”.
Desde o início do escândalo, Cerveró tem dito a amigos que não será o “bode expiatório”, dando a entender que Pasadena servia a interesses de outros executivos, como seu sucessor no cargo, Jorge Zelada, e Renato Duque, ex-diretor de Serviços.  (De O Globo)

São Paulo e o racionamento

Água: população de São Paulo evacuada?

No fim de 2014, o quadro com que a prefeitura trabalhava chegou a ser pior. Informações transmitidas por diretores da Sabesp a secretários municipais e depois ao próprio prefeito Fernando Haddad diziam que São Paulo poderia ser, no limite, evacuada. Os funcionários da estatal depois recuaram das afirmações.
A Prefeitura de São Paulo trabalha com um quadro drástico caso se confirme o racionamento rigoroso da água na cidade. O município de Itu, que ficou meses sob racionamento, é referência. Nele foram registrados casos de tumulto, depredação e saque em locais sem abastecimento. Rodovias foram interditadas e ônibus, incendiados.
A análise é a de que, se numa cidade com cerca de 160 mil habitantes ("onde todos se conhecem", segundo integrante da cúpula da prefeitura), os problemas foram de tal envergadura, numa metrópole de 12 milhões eles podem ser multiplicados.

Outra preocupação é com a questão sanitária, com a ocorrência de doenças como diarreia e a contaminação da água em consequência da diminuição da pressão na rede. (Mônica Bergamo - Folha de S.Paulo)

Dgnitatis lembra morte de defensor de direitos humanos

Seis anos: morte de Mattos lembrada hoje

Do Diario de Pernambuco – Marcionila Teixeira
Os seis anos da morte do defensor de direitos humanos Manoel Mattos serão lembrados nesta quinta-feira (29) durante uma coletiva promovida pela Dignitatis - assessoria técnica popular e pela Justiça Global. Mattos foi assassinado em 24 de janeiro de 2009 em Pitimbu, na Paraíba. Ele recebeu diversas ameaças por ter denunciado ao longo dos anos a ação de grupos de extermínio na fronteira entre Pernambuco e Paraíba.

O caso terminou investigado pela Polícia Federal em virtude da mobilização da sociedade civil organizada. O julgamento dos quatro acusados, todos presos, deve acontecer ainda neste semestre no Recife.

Um primeiro júri popular promovido pela Justiça Federal foi marcado para novembro de 2013, na Paraíba, mas terminou desmarcado por falta de quórum para estabelecer o corpo de sentença. Remarcado para dezembro daquele ano, foi adiado por conta de liminar do Tribunal Regional Federal da 5ª Região que acolhia pedido de desaforamento do julgamento para outra comarca diante da dificuldade de garantir um procedimento imparcial e seguro em virtude da situação dos jurados, familiares das vítimas e testemunhas.

Adeus Refinaria!

Lideranças divergem sobre refinaria do CE

O anúncio da desistência da Petrobras em instalar a Refinaria Premium II no Ceará, após consecutivos adiamentos e promessas reafirmadas tanto pelo ex-presidente Lula como pela atual presidente da República, Dilma Rousseff, repercutiu mal entre as lideranças políticas cearenses. Rapidamente, a oposição tratou de caracterizar a promessa da Petrobras como uma “enrolação”, entre outros adjetivos pejorativos. Já os aliados do governo, como os deputados José Albuquerque, presidente da Assembleia Legislativa, e Sérgio Aguiar (ambos do Pros) se dizem surpresos, mas ressaltam que irão continuar lutando para a concretização da obra.
 O deputado João Jaime (DEM) aponta que a promessa foi um “um estelionato eleitoral”, “uma enganação política”. O deputado Heitor Férrer (PDT) classificou a refinaria como “um sonho que desde o inicio já era um pesadelo”. Para a implantação da refinaria Premium II, estavam previstos gastos da ordem de R$ 30 bilhões. A construção do equipamento no Ceará deveria absorver mão de obra de cerca de 40 mil operários.
 Para viabilizar a implantação do projeto no Ceará, o governo do Estado, investiu pelo menos R$ 600 milhões. O Estado já estava preparado para receber a refinaria e o Porto do Pecém, na Região Metropolitana de Fortaleza, recebeu investimentos, a água foi garantida, uma comunidade indígena seria reassentada, um terreno de dois mil hectares foi comprado, e uma rodovia foi construída.
 Em entrevista a O Estado, Heitor Férrer disse não está surpreso com a desistência da estatal e que ele nunca acreditou que a refinaria sairia do papel. “Desde o inicio da refinaria, eu sempre fui incrédulo, eu nunca acreditei. Eu disse que era muito importante para o Ceará, mas em nenhum momento eu acreditei que ela sairia do papel. Isso foi uma venda de um sonho que desde o inicio já era um pesadelo”, classificou.
 Heitor ainda considera que não somente a sociedade foi enganada, mas como também os políticos que acreditaram no projeto. “Para ser bem sincero, foi apenas um sonho. Prometer é uma coisa, mas o interesse de se concretizar é outro. A sociedade, os líderes políticos, todos nós fomos enganados pelo governo federal. O que é pior: nós indenizamos áreas, reestruturamos áreas, o Estado fez seu papel, mas foi enganado”, enfatizou.
 Para João Jaime, o projeto não fazia, verdadeiramente, parte dos planos da Petrobras. “A refinaria nunca esteve nos planos de investimento da Petrobras, o que existia era projetos de viabilidade econômica que isso foi utilizado politicamente para beneficiar candidatos aqui no Ceará. Mas nos planos da Petrobras, nunca houve sequer investimento para que essas refinarias existissem”, apontou.  
“CEARENSE NÃO DESISTE NUNCA”
 Apesar de a Petrobras anunciar a desistência do projeto, sem dar nenhuma perspectiva de retomada, parlamentares aliado ao governo enxergam o anúncio apenas como mais um adiamento. O presidente da Assembleia Legislativa, Zezinho Albuquerque (Pros), informou, através de sua assessoria, que irá continuar defendendo e lutando para que a Refinaria Premium II seja instalada no Ceará.
 O deputado Sérgio Aguiar (Pros), disse que recebeu a notícia com muita surpresa e que irá continuar lutando para que o projeto se concretize. “Realmente, foi com muita surpresa que recebemos a notícia, ela nos causa, de certa forma um desanimo, mas como somos cearenses e não desistimos nunca, eu espero que essa fase passe, e a refinaria volte a fazer parte dos planos da Petrobras”, ressaltou.
PRÉ-ANUNCIADA
 Apesar de somente agora a Petrobras anunciar “oficialmente” a desistência do projeto, parlamentares cearenses já tratavam a obra como um “calote”, como apontou o deputado Roberto Mesquita (PV) em outubro do ano passado, quando a estatal anunciou um novo adiamento para o início das obras. No mesmo período, o deputado Carlomano Marques (PMDB) classificou a refinaria como “um pesadelo”, uma “mentira”.
 Em novembro o deputado federal Raimundo Gomes de Matos (PSDB) afirmou que a Refinaria Premium II, não sairia nesse novo mandato de Dilma Rousseff (PT). Para o deputado, a petista “enrolou” o então governador do Ceará, Cid Gomes (Pros) e, segundo ele, iria continuar “enrolando” o governador eleito, Camilo Santana (PT).
SEM RESPOSTA
Durante todo o dia de ontem, o Jornal O Estado tentou ouvir um posicionamento do governador Camilo Santana, mas, até o fechamento desta edição, a assessoria não havia dado retorno. O Estado também tentou conversar com os senadores Eunício Oliveira (PMDB) e Pimentel (PT), mas nenhum dos parlamentares foi localizado.

Violência invade Nordeste

Fortaleza lidera índice de homicídios
Mais um número alarmante para a juventude cearense. O Ceará é o terceiro estado brasileiro com o maior Índice de Homicídios na Adolescência (IHA), com uma perda de 7,74 adolescentes em cada 1.000. Já Fortaleza lidera entre as capitais, com 9,92 jovens entre 12 a 18 anos assassinados a cada grupo de 1.000 indivíduos nessa faixa etária. O estudo faz parte do Programa de Redução da Violência Letal Contra Adolescentes e Jovens, realizado pela Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH), em parceria com a Unicef, a ONG Observatório de Favelas e o Laboratório de Análise da Violência da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (LAV-Uerj). Os dados foram divulgados ontem e estimam que, até 2019, cerca de três mil adolescentes serão vítimas de homicídios na Capital.
 Há sete anos, a capital cearense tinha taxa menor: de 2,35 adolescentes por mil. Entre 2011 e 2013, o indicador saltou de 5,71 para 9,92, resultando em número absoluto de mortes esperadas entre 2013 e 2019, superior ao de São Paulo, que tem população de adolescentes quatro vezes maior.
 Neste estudo, é calculado o IHA para todos os municípios brasileiros com mais de 100 mil habitantes em 2012, de acordo com os dados oficiais do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Para o conjunto da população dos 288 municípios estudados, o IHA atingiu um valor de 3,32 adolescentes perdidos para cada grupo de mil indivíduos nesta faixa etária em 2012. O resultado cresceu em relação ao ano anterior, em que o IHA foi de 2,84.
 A partir do cálculo do IHA de 2012, é possível estimar o número de vidas adolescentes que serão perdidas até 2019, se as condições atuais forem mantidas. Aproximadamente 42 mil adolescentes serão assassinados em municípios com mais de 100 mil habitantes. No Nordeste, se nada for feito, mais de 16.000 adolescentes morrerão antes de completar 19 anos.
NORDESTE
Os três estados em que o índice foi mais elevado são da região Nordeste. Alagoas ocupa a primeira posição, com 8,82 adolescentes assassinados em cada mil. A Bahia, com 8,59 por mil, ficou com a segunda colocação, seguida pelo Ceará, com 7,74 por mil. Entre os dez estados com maiores taxas, também estão incluídos a Paraíba (5º), o Rio Grande do Norte (6º) e Pernambuco (10º). Ao contrário dos vizinhos, Piauí e Maranhão ficaram abaixo da média nacional, com IHA de 2,26 e de 2,98 adolescentes por mil habitantes de 12 anos em 2012.
 Capitais do Nordeste também ocuparam as três primeiras posições entre as que apresentam maior risco de assassinato para adolescentes. Além de Fortaleza, que encabeça a lista, vem Maceió, com 9,37, e Salvador, com 8,32 homicídios por mil adolescentes com 12 anos em 2012.
3Ps
Na análise da secretária especial dos Direitos Humanos, Ideli Salvatti, a questão da violência no Brasil é voltada para um perfil de três “p”, “pobre, preto e da periferia”. O representante da Unicef, Gary Stahl, afirmou que, a cada hora, morre um adolescente negro no País. Segundo ele, o número só fica atrás da Nigéria.
Pesquisador do Laboratório de Estudos e Pesquisas sobre Conflitualidade e Violência (Covio), da Universidade Estatual do Ceará (Uece), Geovani Facó, concorda com o perfil retratado no levantamento. “A pesquisa é muito preocupante. Ela mostra que a concentração de vítimas no quadro de violência urbana é o jovem. É quase um genocídio juvenil no Brasil. Além disso, tem o outro recorte, onde a taxa de vitimização do jovem negro é bem maior do que a do adolescente branco. As probabilidades de vitimização aumentam também quando são jovens do sexo masculino, negros e pobres. A vulnerabilidade juvenil traz como consequência a exposição do jovem à violência”, analisou o pesquisador.
 
Pesquisador aponta ausência de mediação de conflitos
 
Na estimativa do IHA, até 2019, 42 mil adolescentes serão assassinados em municípios com mais de 100 mil habitantes, caso nada seja feito para reverter o prognóstico. Apenas em Fortaleza, esse número pode chegar a três mil jovens. Para o pesquisador Geovani Jacó, a previsão é de quase um genocídio juvenil. “Vamos tirar dos jovens aquilo que nós esperávamos deles: o futuro”, observou Jacó.
 Segundo ele, os adolescentes são vitimizados, principalmente, pela violência interpessoal, marcada por conflitos entre os grupos e disputa de território. O quadro é, conforme Jacó, agravado pela ausência de mediação de conflitos. “Diria que a estética dessa violência urbana é marcada por sociabilidade violenta, fundada por conflitos e disputas. Além disso, vem a ausência de mediação dos conflitos. Aqui, entra a história das políticas públicas, das ações dos órgãos para dar segurança, sobretudo, para prevenção da ação criminosa. Isso está ausente”, comentou o pesquisador.
 Outro ponto abordado por Facó é a violência policial. De acordo com ele, no Brasil, a polícia mata muito comparada as outros países. A violência atinge justamente os jovens por estarem envolvidos em relações violentas estimuladas, especialmente, pela falta de mediação de conflitos. “O Estado e os órgãos públicos poderiam prevenir e mediar conflitos, muitas vezes de baixo potencial. Mas, pela ausência dessa mediação, os conflitos evoluem para alto potencial, resultando nesse número de homicídios. A juventude termina vítima do excesso da polícia e da ausência do Estado”.
 Para ele, o modelo de segurança pública estende-se praticamente a todo o País, pontuada pela ação militarizada para combater a violência urbana. “A polícia é preparada para a guerra, para o combate ao inimigo. Não é uma polícia que media. Ela age sozinha, não faz parte de um conjunto de ações e instituições que atuam na prevenção e mediação. E ela age numa realidade onde os atores principais são os jovens”, afirmou.
MERCADO DO CRIME
Facó destacou que, nos últimos 15 anos, a violência mudou de direção, migrando do eixo Rio de Janeiro / São Paulo para outras metrópoles. Conforme o pesquisador, Fortaleza despontou como modelo de desenvolvimento, porém, desordenado, a exemplo de outros capitais do Nordeste, que também estão na lista dos maiores IHA. “Isso muda as relações, abre para a expansão do narcotráfico e a disputa de território. O desenvolvimento sem o devido aumento de ofertas públicas de lazer, habitação, trabalho transforma cidades que antes não eram referência em violência urbana juvenil”, apontou.
 Na ausência de políticas públicas, ponderou Facó, e também na pouca oferta de emprego, escola, renda, o jovem é atraído para o mercado do crime, onde ele tem acesso a “oportunidade e instrumentos, que são as armas”. “A escola se tornou desinteressante e passou a competir com outras ofertas como o crime organizado. A grande maioria de crimes que vitimizam os jovens é praticada por armas de fogo, revelando que a população não apenas está armada, como tem acesso facilitado por um mercado de armas. Se não oferecem oportunidades, os adolescentes são atraídos para o mercado do crime. Esse desenvolvimento cria distorções que tem como consequência social a subtração do futuro do jovem, principalmente, o pobre e negro”, analisou o pesquisador.
FORTALECIMENTO DA JUVENTUDE
Para a Coordenadoria Especial de Políticas Públicas da Juventude (CEPPJ), a elevada taxa de homicídios do público jovem é um aspecto preocupante. Assim, a CEPPJ afirmou que tem como prioridade a promoção dos direitos da juventude, integrando e fortalecendo as estratégias de promoção dos direitos humanos e garantindo relações equânimes de gênero, raça/etnia, acessibilidade e diversidade sexual.
 A coordenadoria destacou que desenvolve projetos que atuam de forma preventiva e que tocam diretamente na redução desses índices. Na Rede Cuca (Barra, Mondubim e Jangurussu) existe a supervisão de mediação de conflitos a qual desenvolve ações em parceria com núcleos de mediação do Ministério Público. Os Cucas recebem jovens que cumprem medidas sócioeducativas (centros educacionais, centros de semi liberdade, prestação de trabalho nos Cucas). Além disso, desenvolvem essa metodologia em praças, associações e sedes comunitárias.

Mandamentos ecológicos

Lí no Diário de Vieirópolis, gostei e copiei:

PRECEITOS ECOLÓGICOS DE PADRE CÍCERO

pe
1. – Não derrube o mato nem mesmo um só pé de pau.
 2. – Não toque fogo no roçado nem na caatinga.
 3. – Não cace mais e deixe os bichos viverem.
 4. – Não crie o boi nem o bode soltos; faça cercados e deixe o pasto descansar para se refazer.
 5. – Não plante em serra acima nem faça roçado em ladeira muito em pé; deixe o mato protegendo a terra para que a água não a arraste e não se perca a sua riqueza. 
6. – Faça uma cisterna no oitão de sua casa para guardar água de chuva. Represe os riachos de cem em cem metros, ainda que seja com pedra solta.
 7. Represe os riachos de cem em cem metros, ainda que seja com pedra solta.
 8. – Plante cada dia pelo menos um pé de algaroba, de caju, de sabiá ou outra árvore qualquer, até que o sertão todo seja uma mata só.
9. – Aprenda a tirar proveito das plantas da caatinga, como a maniçoba, a favela e a jurema; elas podem ajudar a conviver com a seca. 
10. Se o sertanejo obedecer a estes preceitos, a seca vai aos poucos se acabando, o gado melhorando e o povo terá o que comer. Mas se não obedecer, dentro de pouco tempo o sertão todo vai virar um deserto só.

Amanhã será outro dia

" Aquele entre vocês que não tenha pecado seja o primeiro a atirar uma pedra”. Acordei nesta quinta-feira com essa frase de Jesus Cristo em minha cabeça. É claro que deve haver algum significado importante para tal, pensei. E fiquei aqui, concentrada em meus próprios pensamentos. E pensei em minha mãe, a dona Helena, mulher de poucas letras e muita sabedoria. Ela costumava dizer: “Minha filha, se alguém te fizer algum mal, perdoa, não desejes nada de mal pra ninguém, pois tudo que desejares aos outros será dividido pela metade, vai a metade pra pessoa e a outra metade para ti. Lembre sempre disso”. E bateu uma grande saudade da minha mãezinha. E veio a saudade de minha Norminha. E meu coração encheu-se de saudades. 
É assim, tem dia que a saudade bate mais forte, mais doída. Mas, ainda bem que saudade é dor que dá e passa, vem e volta, às vezes fica, às vezes vai embora. Bem, com esses pensamentos e esse sentimento em minha mente, resolvi perdoar aqueles que de uma maneira ou de outra me fizeram algum mal. E lembrei de outra frase de Jesus Cristo: “Caso teu irmão peque contra ti sete vezes por dia e sete vezes retorne, dizendo Estou arrependido, tu o perdoarás”.
 É, meu coração está mais leve, eu perdoo, tá tudo perdoado, estão todos perdoados. E Deus que me proteja, e proteja a vocês todos, aos amigos, aos não tão amigos, e, por que não, aos inimigos também, pois amanhã será outro dia.

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Tarso Genro: "Vitória do Syriza na Grécia não representa a vitória de uma extrema-esquerda" como grande imprensa prega

TARSO: IMPRENSA MUNDIAL DEFORMA SIGNIFICADO DA VITÓRIA DO SYRIZA NA GRÉCIA

:
Ex-governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro (PT) afirmou que "a vitória do Syriza na Grécia não representa a vitória de uma extrema-esquerda que defende a ruptura com a União Europeia, como vem repetindo um setor dominante da mídia, na Europa e no Brasil, mas sim a vitória de uma força política de esquerda que retoma propostas que podem ser inscritas na agenda original da social democracia europeia"; "Como essa social democracia foi toda para o centro, o Syriza é apresentado como radical", disse

Marco Weissheimer, Sul 21 - "A vitória do Syriza na Grécia não representa a vitória de uma extrema-esquerda que defende a ruptura com a União Europeia, como vem repetindo um setor dominante da mídia, na Europa e no Brasil, mas sim a vitória de uma força política de esquerda que retoma propostas que podem ser inscritas na agenda original da social democracia europeia. Como essa social democracia foi toda para o centro, o Syriza é apresentado como radical". A avaliação é do ex-governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro, que está em Sevilha (Espanha), onde participou como painelista de um seminário sobre a recuperação da memória nas ditaduras.
Tarso Genro aponta uma série de simplificações e deformações que vêm sendo reproduzidas na imprensa a propósito do significado do resultado das eleições na Grécia. "O Syriza não quer que a Grécia saia da União Europeia e da zona do euro. O que está propondo é a reestruturação do pagamento da dívida para dar uma folga ao tesouro grego e possibilitar a retomada dos investimentos em infraestrutura no país. Não está propondo o calote da dívida, mas sim uma renegociação". A proposta defendida pelo novo primeiro ministro grego, Alexis Tsipras, acrescenta Tarso, não representa tampouco uma ruptura com o estado democrático de direito, mas sim um projeto de reconstrução do Estado, de reincorporação de servidores públicos demitidos e de recuperação de serviços desmantelados.
A proposta do Syriza em relação à dívida, diz Tarso, é muito parecida com a que defendemos no Rio Grande do Sul, em cima de três pontos: desvalorização da dívida, aumento dos investimentos e novos financiamentos para modernizar a economia do Estado.
A Grécia tem hoje a situação econômica mais dramática da Europa, com uma dívida que equivale a 170% de seu Produto Interno Bruto (PIB). A dívida do Rio Grande do Sul, compara Tarso Genro, representa hoje 20% do PIB gaúcho. Vários países intermediários da Europa, assinala ainda o ex-governador do RS, já estão fazendo propostas similares às do Syriza, querendo a renegociação da dívida para retomar o caminho do crescimento. E não só países intermediários. François Hollande, primeiro ministro da França, já manifestou simpatia pelas ideias de Tsipras e o convidou para conversar.
Do ponto de vista político, avalia Tarso Genro, a proposta mais importante que está sendo levantada por Alexis Tsipras é o pedido de uma indenização, junto a Alemanha, pelos crimes de guerra cometidos pelos nazistas contra o povo grego durante a Segunda Guerra Mundial. Logo após assumir o cargo de primeiro-ministro, Tsipras deixou uma coroa de flores em um monumento às vítimas dos nazistas em Atenas, um gesto inédito entre os chefes de Estado gregos. Em 1º de maio de 1944, cinco meses antes de deixarem Atenas, os nazistas fuzilaram 200 comunistas no local onde está o monumento, na periferia de Atenas, um dos piores massacres do período da ocupação alemã na Grécia.
Um grupo de trabalho do governo grego já estimou que o montante desta reparação seria de cerca de 162 bilhões de euros (cerca de 221 bilhões de dólares). O governo alemão, por sua vez, sustenta que a questão das indenizações de guerra já foi resolvida durante os acordos da Conferência de Paris, em novembro de 1945.
Tarso também contesta a afirmação que vem sendo reproduzida pela imprensa em vários países dando conta que o Syriza teria feito acordo com um partido de direita para formar o governo. A aliança, na verdade, observa, foi feita com um partido nacionalista, moderado, de centro direita, em cima de dois pontos: apoio à renegociação da dívida com a União Europeia e apoio à proposta de compensação financeira, pela Alemanha, em função dos crimes cometidos na Segunda Guerra Mundial.
A vitória do Syriza na Grécia, assinala ainda Tarso Genro, abre as portas para importantes inflexões políticas na Europa o que pode levar a mudanças no funcionamento da União Europeia. O Financial Times, lembrou, questionou se Tsipras será um Lula ou um Hugo Chávez. "Essa disjuntiva colocada pelo Financial Times mostra que é falsa a afirmação de que tivemos uma vitória da extrema esquerda na Grécia. O que é o Syryza quer não é uma ruptura com a Europa, mas sim a reconstrução do Estado grego e um novo patamar de funcionamento para a União Europeia".
O resultado da eleição na Grécia, aponta o ex-chefe do Executivo gaúcho, já tem repercussões na Espanha. "Na região da Andaluzia, onde haverá eleições regionais e março, o Partido Socialista rompeu o governo de unidade que tinha com a Esquerda Unida para fazer um movimento na direção de um acordo com o Podemos. O Partido Socialista e o Partido Popular, os dois partidos mais tradicionais da Espanha, vem se esforçando em dizer que o caso espanhol é diferente do grego. A divergência das duas siglas em relação à União Europeia é de grau, mas o resultado da eleição grega favorece a ala mais à esquerda do Partido Socialista que defende mudanças mais profundas na relação da Espanha com a UE. Pode surgir daí um novo sistema de alianças na Europa, em defesa de outros padrões de integração".
Em Sevilha, Tarso Genro conversou com o professor Juan Torres Lopez, um dos responsáveis pela redação do programa de governo do Podemos. A partir dessa conversa, ele relata: "Quando ele terminou de redigir a parte econômica do programa, Pablo Iglesias, uma das principais lideranças do Podemos, sugeriu mudanças no texto para que ele não configurasse uma proposta de ruptura com a União Europeia. Tsipras e Iglesias têm admiração pelas políticas de combate à pobreza e à desigualdade social feitas no Brasil a partir dos governos do presidente Lula. E essas agendas estão na ordem do dia hoje em países como Grécia e Espanha".
(Rio Grande do Sul 247)

Sinpol de Pernambuco divulga nota no faceboock

NOTA DO SINPOL SOBRE REUNIÃO COM DELEGADO ANTÔNIO BARROS
Na noite desta terça-feira (27/01), após a publicação da nota de repúdio do Sinpol em relação às operações policiais marcadas para esta quarta-feira (28/01), a diretoria do sindicato foi chamada para uma reunião com o chefe de Polícia, delegado Antônio Barros, tendo o mesmo informado que a citada operação não teve o caráter de desmobilizar a categoria para a nossa assembleia geral.
O delegado chefe reiterou, ainda, a disponibilidade de permanente diálogo com o Sinpol, comprometendo-se, em sua gestão, a não marcar operações da Polícia Judiciária pernambucana em dias de atos convocados pelo sindicato, externando, também, que não haverá qualquer impedimento para os policiais que comparecerem à assembleia geral desta quarta-feira, garantindo-se o direito sindical a todos os trabalhadores policiais civis.
Diretoria do Sinpol

Denúncia: Palácio da Abolição e o desperdício de água




O gabinete do deputado Heitor Férrer recebeu uma denúncia que deve ser levada em consideração. Um cidadão se diz alarmado com o desperdício de águas das "piscinas" que circundam o Palácio da Abolição, prédio desenhado pelo famoso arquiteto sulista Sérgio Bernardes. Talvez ele pensasse que nós cearenses temos elevado índice de precipitação pluviométrica/ano. Mas, deixa pra lá...
O que interessa é que o denunciante, que faz caminhada diariamente ao redor do Palácio,chama a atenção para o fato de que "entre duas e três vezes por semana, eles enchem e esvaziam completamente as piscinas. São centenas de metros cúbicos de água jogada semanalmente no esgoto." O denunciante não sabe se a água desperdiçada é oriunda da CAGECE ou de poço.Mas, como diz, constitui de qualquer modo "uma tremenda insensibilidade."
O gabinete do deputado Heitor Férrer já está entrando em contato com a administração do Palácio da Abolição para saber ao certo o que ocorre.

O gabinete do deputado Heitor Férrer recebeu uma denúncia que deve ser levada em consideração. 

Um cidadão se diz alarmado com o desperdício de águas das "piscinas" que circundam o Palácio da Abolição, prédio desenhado pelo famoso arquiteto sulista Sérgio Bernardes. Talvez ele pensasse que nós cearenses temos elevado índice de precipitação pluviométrica/ano. Mas, deixa pra lá...

O que interessa é que o denunciante, que faz caminhada diariamente ao redor do Palácio,chama a atenção para o fato de que "entre duas e três vezes por semana, eles enchem e esvaziam completamente as piscinas. São centenas de metros cúbicos de água jogada semanalmente no esgoto." O denunciante não sabe se a água desperdiçada é oriunda da CAGECE ou de poço.Mas, como diz, constitui de qualquer modo "uma tremenda insensibilidade."

O gabinete do deputado Heitor Férrer já está entrando em contato com a administração do Palácio da Abolição para saber ao certo o que ocorre.

"Medidas para consolidar um projeto vitorioso"

Dilma justifica medidas econômicas e pede empenho a ministros


Dilma Rousseff em reunião ministerial. Foto: Roberto Stuckert/DIvulgação.
Dilma Rousseff em reunião ministerial. Foto: Roberto Stuckert/DIvulgação.
Da Folhapress
Em sua primeira fala pública após ter assumido o seu segundo mandato, em 1º de janeiro, a presidente Dilma Rousseff justificou nesta terça-feira (27) as medidas econômicas anunciadas por seu governo recentemente como necessárias e corretivas para “manter o rumo e ampliar as oportunidades preservando as conquistas sociais”.
“As medidas que estamos tomando e tomaremos irão consolidar um projeto vitorioso nas urnas por quatro vezes consecutivas. São essas medidas que estão ajudando o Brasil a mudar. E essas mudanças dependem muito da estabilidade e da credibilidade da nossa economia. Precisamos garantir solidez dos nossos indicadores econômicos”, afirmou.
Dilma está reunida com seus 39 ministros e com o vice-presidente Michel Temer na Granja do Torto, residência de campo oficial da Presidência da República, em Brasília. Esta é a primeira reunião ministerial realizada no segundo mandato da petista. O último encontro do tipo foi feito em 2013, logo após a eclosão das manifestações.
A presidente afirmou que durante o seu primeiro governo foram tomadas medidas para preservar o país dos problemas econômicos internos e externos mas afirmou que agora se chegou “a um limite”. “Agora atingimos um limite para isso. Estamos diante da necessidade de promover um reequilíbrio fiscal. […] Tomamos algumas medidas que têm caráter corretivo”, disse.
Na tentativa de se preservar contra as críticas de quem diz que ela está tomando medidas contrárias ao que defendeu durante a campanha eleitoral, Dilma afirmou que já havia dito que o seu segundo governo seria de “continuidade e mudanças”.
Criticada por passar mais de um mês sem dar entrevistas, a presidente retomou seu discurso pós-eleitoral por mais diálogo e pediu a todos os ministros que não se omitam e falem mais com a sociedade para divulgar e defender o seu governo. Ela falou por cerca de 30 minutos.
“Devemos enfrentar o desconhecimento, a desinformação, sempre e permanentemente. Não podemos permitir que as falsas versões se criem e se alastrem. […] Tragam a posição do governo à opinião pública. Sejam claros, se façam entender. Não podemos deixar dúvidas”, disse aos ministros.
Dilma chegou ao local da reunião de helicóptero com cerca de 20 minutos de atraso. A reunião estava marcada para começar às 16h. Ao chegar, ela cumprimentou todos os ministros individualmente e depois, já sentada em seu lugar, pediu que todos sejam sucintos em suas exposições.